Andre Kokn, pintor da chuva

sexta-feira, janeiro 20, 2017 Jussara Neves Rezende 26 Comments


Criado num ambiente que mesclou cultura e talento, o artista plástico russo, Andre Kokn, é hoje um dos pintores mais colecionados do impressionismo figurativo na cena artística norte-americana.
Sua mãe, uma violinista sinfônica, e seu pai, um notável linguista, escritor e escultor, garantiram-lhe acesso irrestrito a todas as artes criativas.
Kokn recorda-se que sua infância foi pobre de bens materiais, mas lhe ensinou que a arte é a única riqueza verdadeira. Sua memória de infância é a de que "música e arte estavam em toda parte”.
Estudou arte em Moscou e recebeu convites para exposições na Europa para onde ainda hoje viaja, eventualmente, para se inspirar e continuar seus estudos. Mora no Arizona e é representado pelas principais galerias de arte dos Estados Unidos.
O que ele procura com sua arte? A sua própria “interpretação poética do mundo”, diz ele que tem especial predileção pelo tema da chuva – tema que também amo e que foi, justamente, o que me levou a descobrir esse artista.
Observe, nas imagens, abaixo, as variações sobre o mesmo assunto que ele executa magistralmente. Há inclinações no guarda-chuva, no movimento das pernas, mudanças no comprimento do vestido, mas permanecem as cores branca e vermelha, mesmo quando o guarda-chuva é substituído por um chapéu (na última foto):











Gosto de todas as telas,  nas quais percebo muita poesia, mas especialmente da primeira, na qual  a posição do joelho sugere uma determinação que nenhuma chuva é capaz de impedir. 
Com essa determinação se casa a paixão expressa pela cor vermelha e que o contraste com o branco faz destacar.

Crédito das imagens: aqui
Fonte de pesquisa: aqui

Beijo&Carinho,

Jussara


26 comentários:

  1. Adorei, Jussara.
    Excelente partilha. Grato.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, AC! Também gostei de descobrir esse pintor :)

      Excluir
  2. Boa noite, colega Jussara!
    Que postagem mais colorida, uai! Adorei. :)
    Ei, moça!
    Tem postagem novinha em "GAM Dolls (2)". Passe por lá pra conferir, está uma formosura!
    Ficarei feliz com sua visitinha e comentário, sempre tão gentis.
    Tenha uma linda nova semana.
    Abração pra você! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois, rs. Também gostei do uso que o pintor faz das cores. Vou lá...

      Excluir
  3. Em Kokn, há um movimento pluvioso muito interessante. A chuva traga a cidade e lhe confere um adorável aspecto aquoso prata. O vermelho, como você bem disse, sugere a paixão, que segue impassível em meio a diluição intensa da vida.
    Belo achado!
    Diluído em abraços...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "A paixão segue impassível em meio a diluição intensa da vida"... Adorei, Roberto!

      Excluir
  4. Belíssimas pinturas!
    Tive oportunidade de conhecer o trabalho dele quando pesquisava imagens para o meu blog.

    Feliz semana!

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sempre teve imenso gosto na escolha das imagens para os seus posts, Vera! Abraço!

      Excluir
  5. Não conhecia o pintor, adorei!
    Obrigado pela partilha.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Maria, que gostou! Sempre aprecio muito as partilhas que você faz!

      Excluir
  6. Lindo, Jussara! Não conhecia o autor, tampouco essa expressão: impressionismo figurativo. Só conhecia o velho impressionismo. A impressão que tenho é que os artistas antigos já descobriram e fizeram tudo que se podia fazer com as cores e formas. Aos modernos resta buscar inspiração nos mestres e fazer releituras, o que não é nenhum demérito. Adorei! Logo, logo, terá mais notícias minhas Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "A impressão que tenho é que os artistas antigos já descobriram e fizeram tudo que se podia fazer com as cores e formas. Aos modernos resta buscar inspiração nos mestres e fazer releituras"... está corretíssimo, João Antônio. E não é de hoje isso, rs. Bom saber que logo terei notícias... abraço!

      Excluir
  7. Sensacional! Suas impressões me ajudaram a perceber melhor as telas. São intensas e cheia de nuances, detalhes e paixão. Obrigada por partilhar. Sempre um prazer passar aqui. Saudades yvone

    ResponderExcluir
  8. Olá querida Jussara, muito bacana seu olhar sobre as obras, não conhecia o autor, mas já tinha visto as imagens! Muito lindas por sinal! Bjosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Kellen! Fico feliz de que tenha gostado. Abraço!

      Excluir
  9. Todas as telas são lindas, mas a quarta tela é deslumbrante!
    O sobretudo dá classe e a bolsa levada sem preocupação com a água transite uma naturalidade que contrastam de forma curiosa.
    O vermelho da roupa, extremamente respigado, dá um tom meio abstrato.
    Uma belezura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Sylvio. A tela com o sobretudo é a mais bonita. Só não a escolhi para a abertura do post porque a inclinação do joelho, na tela escolhida, deu-me um rumo para começar a prosa, rs

      Excluir
  10. Jussara ,
    Gostei de conhecer o pintor e das belas telas .
    Agradeço sua partilha .
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Marisa! Alegra-me poder partilhar com você algo relevante, pois suas partilhas sempre me enriquecem! Abraço!

      Excluir
  11. Realmente são encantadoras as imagens Jussara. Este toque de chuva é interessante o olhar dele nos detalhes que voce bem enfatizou para nós com sua sensibilidade e gosto desta especial arte. O vermelho e branco é um contraste que inspira sim.
    Gostei Juassara desta belíssima partilha com informações.
    Que as chuvas caiam bem levemente sobre voce.
    Bju amiga e bom feriadão de carnaval.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém! Obrigada, Toninho. Fico feliz que tenha gostado!

      Excluir
  12. Jussara,
    Que quadros lindos,eu não conhecia esse artista.
    Gostei do contraste do branco com vermelho.
    Besitos e tenha uma semana abençoada

    ResponderExcluir
  13. Oi Jussara,
    Não conhecia o pintor e adorei as imagens! As telas passam a ideia de água mesmo.
    Bjs
    GOSTO DISTO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Acho fantástico isso... as telas conseguem ser frias, como devia estar frio sob a chuva! Abraço!

      Excluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!