Produção

DICAS PARA POETAS – OS POEMAS NÃO NASCEM PRONTOS

DICAS PARA POETAS – OS POEMAS NÃO NASCEM PRONTOS

Em tempos em que enorme rapidez mal separa ideia, escrita e publicação, pode parecer ultrapassado o que vou dizer aqui. Pode parecer, mas não é.

Precipitação

Precipitação

    Eu quero sempre mais que o tempo permite e essa gula me paralisa e só aumenta meu querer tornado impossível. Há contas por fazer, mas na cama os lençóis estão em desalinho e, ansiosas, as panelas esperam no fogão. Aberto, o notebook lembra a necessária […]

Siqueiriiinha!… Quareeesma!…

Siqueiriiinha!… Quareeesma!…

“Siqueiriiinha!… Quareeesma!” Apenas escurecia, mas o grito da Lupércia, mãe do menino, conseguia, ao menos durante aqueles quarenta dias, trazê-lo mais cedo para casa

Somatória – poema de Jussara N Rezende

Somatória – poema de Jussara N Rezende

SOMATÓRIA     Se somadas, as noites darão um mês? Quem fez supor que o tempo e seu açoite bons matemáticos seriam da emoção?    

Chove – poema de Jussara N Rezende

Chove – poema de Jussara N Rezende

Um poeminha que brinca com as ideias de “fora” e “dentro”, de “choro” e “chuva”. A janela, perto da qual se encontra uma silhueta feminina, faz supor o interior que se opõe à chuva (uma casa), mas a própria ideia do choro e o uso […]

A Canção do exílio em nova versão e um poeminha de Jussara N Rezende

A Canção do exílio em nova versão e um poeminha de Jussara N Rezende

O poema “Canção do exílio” (1843), de Gonçalves Dias, talvez seja o texto mais parodiado de nossa literatura:   “Minha terra tem palmeiras Onde canta o sabiá; As aves que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá.”

Bolinhos de Carne OU Joãozinho e Maria na versão de minha bisavó

Bolinhos de Carne OU Joãozinho e Maria na versão de minha bisavó

Era uma contadora de histórias a minha bisa. Ia dizer que ela gostava de contar os “causos” perdidos no tempo, recuperados por sua memória e ofertados por sua voz, mas não sei ao certo se ela realmente apreciava contá-los ou se apenas se dedicava a esses […]

Análise de um conto em sala de aula

Análise de um conto em sala de aula

 Não me lembro se no livro A gestação do futuro ou em Da esperança, Rubem Alves diz que “escrevemos para descobrir co(n)spiradores, gente que respire o mesmo ar”. Acredito que ninguém que me lê aqui irá discordar, pois o que fazemos hoje em dia – […]