Apreciações e Estudos

A Canção do exílio em nova versão e um poeminha de Jussara N Rezende

A Canção do exílio em nova versão e um poeminha de Jussara N Rezende

O poema “Canção do exílio” (1843), de Gonçalves Dias, talvez seja o texto mais parodiado de nossa literatura:   “Minha terra tem palmeiras Onde canta o sabiá; As aves que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá.”

Literatura e loucura

Literatura e loucura

Sonhar, todos sonhamos. Não apenas de olhos fechados. O sonho dá sentido à vida e o lugar em que hoje estamos só alcançamos por tê-lo já habitado algum dia nas nebulosas regiões da quimera.

O erotismo de Gilka Machado

O erotismo de Gilka Machado

A carioca Gilka Machado foi contemporânea de Cecília Meireles, mas ao contrário da escritora de Viagem, optou por versos audaciosos, que refletem sobre a paixão e seus embates no corpo feminino. Foi demais para a época (seu primeiro livro, Cristais partidos, foi publicado em 1915). […]

“Prece a uma aldeia perdida”, de Ana Miranda

“Prece a uma aldeia perdida”, de Ana Miranda

Há tempos não lia um livro que, ao final, desejasse ter escrito. Prece a uma aldeia perdida veio saciar essa fome de poesia, beleza e perfeição textual que sempre me persegue. E foi por puro acaso que o encontrei numa banca de livros em oferta, […]

Algumas palavras sobre a gênese e evolução dos poemas

Algumas palavras sobre a gênese e evolução dos poemas

O primeiro grau da poesia lírica, segundo Fernando Pessoa, é aquele em que o poeta, concentrado em seu sentimento, escreve sobre esse sentimento. Quanto mais fiel for o poeta às nuances desse sentimento, entretanto, mais referencial será sua linguagem e, consequentemente,  menos poética. Por outro […]

“Os meninos da Rua Paulo” – valores universais

“Os meninos da Rua Paulo” – valores universais

Isabelle Fontrin O que garante a universalidade e/ou a atemporalidade de uma obra? “O enfoque que dá às questões humanas” seria uma boa resposta, uma vez que as emoções humanas pertencem ao homem de sempre e de qualquer lugar do mundo. Isabelle Fontrin As questões […]

Miniaturista – breve apreciação

Miniaturista – breve apreciação

Li na Web críticas negativas a respeito do romance Miniaturista (Presença, 2015), obra de estreia de Jessie Burton. Giravam elas em torno de uma suposta demora narrativa, bem como de uma pretensa falta do que fazer das personagens. Não concordo com isso. Nunca qualquer demora […]

Poeminha Dó ré mi fácil…

Poeminha Dó ré mi fácil…

Gosto de brevidade em poesia. Reconheço o valor e a beleza de grandes epopeias, mas penso que se não há uma grande história a ser contada, melhor é dizer o que se pretende com o mínimo de palavras possível. A poesia lírica flagra um instante: […]

Grandes esperanças – resenha e fragmento

Grandes esperanças – resenha e fragmento

 São Paulo: Landmark, 2013, 528p.   Que o número de páginas não assuste os leitores que gostam de leituras mais ligeiras. Trata-se de uma edição bilíngue, o que significa que o texto em português ocupa apenas a metade dessas páginas belamente encadernadas.       O último romance […]

“Galo, galinha e pinto e outras histórias” – impressões sobre a obra e um Concurso Cultural

“Galo, galinha e pinto e outras histórias” – impressões sobre a obra e um Concurso Cultural

O Autor me havia dito que se recolhera em casa de sua irmã Rosa, em Maricá, RJ, a fim de se dedicar às ilustrações de seu Galo, galinha e pinto e outras histórias, livro que escrevera para crianças. Em momento algum sugerira, entretanto, que as histórias […]