Somatória - poema de Jussara N Rezende

quarta-feira, janeiro 11, 2017 Jussara Neves Rezende 30 Comments




SOMATÓRIA


Se somadas as noites
darão um mês?
Quem fez supor
que o tempo e seu açoite
bons matemáticos seriam
da emoção?

Da intensidade vivida
na noturna nudez
devem entender as estrelas
que,
esvaídas
em centelhas
no espaço sem fim,
fins
e princípios vislumbram,
deslumbram
registros de tempo
e,
imersas na própria mudez,
intensas
permanecem.


Jussara Neves Rezende




Beijo&Carinho
Imagem: Google Imagens

30 comentários:

  1. Sempre belas palavras você nos traz. Amei esse poema. Lindo.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  2. Sempre que leio um poema seu ficou emocionada ! Porque vejo os talentos que Deus dá ás pessoas e o seu me emociona muito !
    Lindo !

    Bjus 1000 querida e um 2017 incrível !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Pepa! Fico feliz que assim seja, pois despertar a emoção das pessoas e, assim, levá-las à catarse, é uma característica do trabalho poético... tão desvalorizado nos dias que correm, o que me faz desejar, às vezes, ter um talento mais "útil", rs. Abraço!

      Excluir
  3. Gostei muito e mais esse poema lindo, bem inspirado! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Chica! E vamos espalhando versos por aí... abraços!

      Excluir
  4. As estrelas, imersas na própria mudez, intensas permanecem como você que permanece imersa e intensa até que se faça em chuva e em choro e em hora a contar noites e açoites - registros de sua inefável imaterialidade.

    Abraço,
    Roberto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre bom receber sua leitura, Roberto. Abraço!

      Excluir
  5. As estrelas são eternas...
    Excelente poema.
    Gostei da sua poesia, parabéns pelo talento que as suas palavras revelam.
    Bom resto de domingo, Jussara.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Jaime. É uma poeminha simples, para circular na rede, mas fico feliz de que tenha gostado. Abraço!

      Excluir
  6. Oi Jussara, já começa o ano nos dando esse presente maravilhoso.
    As estrelas estão lá no espaço, na mudez, guardam segredos que os homens sonham em revelar.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem assim! Você começou o ano muito inspirada, Vi! Abraço!

      Excluir
  7. Boa tarde, lindo poema revelador da intensidade vivida.
    AG

    ResponderExcluir
  8. Oi Jussara,
    O poema é lindo, tem um ritmo gostoso como o bater das horas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Que lindo! Que jogo de sentidos!... ;-)
    O fim são fins para a vastidão do tempo!

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  10. Na matemática da emoção eu bem que gostaria de saber a minha nota. Olá! Sou Anabela, do blog anabelajardim.blogspot.com.br, escrevo sobre Minas Gerais, gosto de registrar a história e a cultura do lugar onde nasci. Venha me visitar. Até breve!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anabela, estou atrasadíssima com minhas visitas, mas irei, sim, pois embora não me sinta brasileira, sou mineira até do âmago do meu ser. Abraço!

      Excluir
  11. Gostei de reler o seu magnífico poema.
    Jussara, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. Que poema lindo! Adorei!!

    http://doce-madreperola.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom! Fico feliz de que tenha gostado. Obrigada!

      Excluir
  13. Da Matemática do cosmos ainda pouco sabemos, mas a força da poesia impele-nos a criar, constantemente, novos teoremas.
    Maravilhoso, Jussara. Parabéns!

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, AC. Fico feliz de que tenha gostado, pois sempre aprecio demais seus textos. Abraço!

      Excluir
  14. Só sei dizer isto: é daqueles teus poemas que eu adoro. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E precisa dizer mais? Amei o comentário! :)
      Abraço!

      Excluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!