Você viu o passarinho azul?

quinta-feira, abril 07, 2016 Jussara Neves Rezende 46 Comments



Minha bisavó era o tipo de avó aconchegante que hoje não se encontra mais. Era baixinha e gorda, de cabelos curtos e brancos, e usava vestidinhos simples e retos que variavam apenas na estampa, sempre a mesma nas minhas lembranças. 


Na época em que vivemos na mesma casa eu amava passar horas em sua companhia a ouvir as histórias de assombrações e castelos, que ela contava tão bem, além de suas memórias de infância que pareciam, aos meus ouvidos de menina dos anos 70, como vindas de outro século (praticamente, pois ela nasceu em fins do século XIX), de um tempo sem automóveis, sem luz elétrica ou telefone. Eram histórias recheadas de cavalos, carroças, estradas poeirentas, bonecas feitas de trapos e sabugos de milho e namoros arranjados.


Vinda desse tempo, minha bisavó era analfabeta, dona, porém, de uma sabedoria de chás e rezas e de um rosto bonito que eu admirava, agarrada como era a ela, feliz de analisar as manchas de idade em seus braços e a finura de sua pele.


Talvez seja esse encantamento que eu sentia pela beleza anciã de minha bisa que garanta que hoje eu não tema o envelhecimento e encare com a naturalidade possível – num mundo que pensa o contrário – o corpo que se/me transforma no colo aconchegante que eu mesma pretendo ter para os meus netos.
Mais de uma vez, chegando eu feliz da escola ou de alguma brincadeira, ela me perguntou eu vira o passarinho azul...


Do estranhamento inicial com a pergunta passei a entender, com o tempo, que o passarinho azul simbolizava leveza e alegria, bem como a liberdade, cheia possibilidades, de minha vida que apenas começava. Muito mais tarde soube que ver (realmente) um passarinho azul é considerado um presságio de sorte, mas no tempo de minha bisavó o passarinho azul era só uma imagem da felicidade que era tão naturalmente minha.



As imagens que ilustram este post me foram cedidas gentilmente por Leonor Machado, dona do blog “A arte como ofício” (que recomendo) – recheado com seus desenhos, aquarelas e seu olhar artístico e poético sobre flores e paisagens. Os pássaros são um tema recorrente em sua obra. Leonor é professora aposentada e se confessa apaixonada por “todas as formas de arte”. Vive em Matosinhos (cidade em que também viveu Florbela Espanca) bem ao lado do Porto, em Portugal.


Beijo&Carinho,
Jussara


46 comentários:

  1. Gente... esse blog de cara nova.
    Quanto tempo não venho aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também, Ana Vi, há tempos não vou a blog algum. Espero conseguir em breve retomar a vida como era...

      Excluir
  2. Que lindas recordações tens da tua avó! E lembro bem do passarinho azul como expressão.Minha mãe usava pra dizer que alguém tinha visto o amor, o friozinho na barriga... Adorei as telas! beijos pra ti e Leonor! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, minha bisavó também usava para se referir a um namorado, flerte, rs
      Obrigada, querida!

      Excluir
  3. Bom dia Jussara!
    Que bela homenagem! As avós ficam eternamente em nossas lembranças. O aconchego, as palavras carinhosas, o sabor da comida que preparavam - verdadeiramente um símbolo de amor e proteção, sim, por que sabíamos que podíamos contar com elas nos momentos certos. Realmente essa sensação de alegria e felicidade simbolizando o passarinho azul, muitas vezes se dava pelo simples fato de você se encontrar ao lado de sua avó e poder compartilhar com com ela momentos inesquecíveis. Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão, Lourdinha. Mesmo depois de tanto tempo a lembrança dela é um passarinho azul pra mim! :)

      Excluir
  4. Que belas palavras Ju... Não conheci minha biza, mas convivi bastante com minha avó e também tenho lembranças maravilhosas dela, a minha gostava de contar piada... Bom final de semana... Um xeru!

    Sandra
    http://pedacinhobysandra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que avó divertida devia ser a sua Sandra! As minhas nunca souberam contar piadas, rs

      Excluir
  5. Olá Jussara, gosto de viajar por estas historias plenas de sabedorias, que envolvem nossos velhos vindos de outra época. Lembranças de meus avós me assediaram neste leitura povoada de recordações de uma vó e seu passarinho azul.Já eu tenho uma irmã que sempre tinha a visita de um passarinho sem cor, que lhe segredava as coisas e às vezes segredos.Ela dizia que um passarinho tinha dito a ela.Mas este passarinho azul fez fama por nossa Minas tão Gerais.Boa lembrança e belo cronica com análise de um tempo feliz de historia.
    Carinhoso abraço amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, você tem razão: a história/fama do passarinho azul deve ter se espalhado pelas nossas Minas!
      Abraço!

      Excluir
  6. Olá, Jussara.
    Neste fim de tarde que me traz no vento frio a melancolia, foi um doce aconchego para meu coração viajar nesta sua lembrança dos tempos de convívio com sua bisavó.
    A sabedoria genuína da experiência, que livro nenhum ensina, é a que faz homens e mulheres raros.
    Achei curioso sua avó usar essa expressão que associa o passarinho azul à alegria, pois é muito usada aqui, em Portugal, principalmente pelas pessoas mais antigas =)
    Curiosa que sou, sigo o seu conselho e vou espreitar o blogue da artista de Matosinhos, aqui perto de mim.
    Tenha um bom fim-de-semana.
    Um bj amg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei saber que você também, como outras amigas blogueiras, vive ao norte de Portugal. Mais que nunca estou querendo voltar!
      Abraço!

      Excluir
  7. Que lindas lembranças, Jussara! Não tenho quase nada, somente alguma foto para fazer essa ligação com as avós. Sobraram as histórias sobre elas, para montar uma imagem como lembrança. Há um filme antigo com esse nome : O Pássaro Azul, que adorei assistir.As imagens dos pássaros me encantaram por aqui, que já imaginei um jardim para eles, rsrs
    Beijos, Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou procurar esse filme, Ana! Você sempre me dá boas dicas!
      :)

      Excluir
  8. Olá Jussara:
    Não conheci minha bisa, mas tinha uma relação muito boa com minha avó paterna, que era divertida.
    Quanto a aparência física, tomo minhas precauções, mas também não tenho temor com o envelhecimento.
    Só receio mesmo é perder a lucidez.
    Bom final de semana.
    Bjokas.:
    Sil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silvana, eu era menina e já tinha receio de um dia perder a lucidez. Espero que Deus nos livre disso!

      Excluir
  9. Belo o seu conto, cheio de lembranças imensuráveis. A simbologia do pássaro azul é muito sábia. Sempre é muito significativo as memórias que contam uma época nesta vida que vai seguindo seu rumo infinitamente. bjs. Adorei conhecer seu espaço. Vi no G+ através do amigo Tonhobira. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Seja bem vinda! É um prazer tê-la aqui!

      Excluir
  10. Jussara , suas lembranças me encantaram como a todos que aqui comentam . Tanta delicadeza em cada linha espelhando a beleza de sua bisa . Os pássaros de Leonor Machado fazem um perfeito pano de fundo . Parabéns . Beijos e boa semana .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marisa, querida,
      eu já queria contar essa história... depois de conhecer os pássaros da Leonor soube que era o momento :)

      Excluir
  11. Que lembrança gostosa, Jussara!
    O "Passarinho Azul" também fez parte de minha infância!
    Que doce recordação, já nem lembrava mais dela, mas já que lembrou, achei a razão de estar tão feliz: ando vendo o "Passarinho Azul"!!!
    Amei, obrigada, feliz e abençoada semana, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas que maravilha! Fiquei feliz por saber que andas a ver o passarinho azul! O meu bateu asas para o hemisfério norte... estou à espera de que volte em breve, rs

      Excluir
  12. Adorei a leveza nas palavras e imagens desta publicação!
    Que delícia reconfortante nestes tempos de palavras e sentimentos pesados pelo qual passamos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Sylvio! Que seria de nós sem o auxílio da memória, da poesia, da beleza?

      Excluir
  13. As memórias, cara Jussara, são eterno sustentáculo, fonte por onde brotam alentos, crenças, convicções, poesia...
    Folgo que guarde gratas recordações de sua bisavó. Imagino que ela seria uma autêntica biblioteca viva, com soluções a condizer.

    Uma boa semana :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela era uma velhinha cheia de histórias... e eu já amava histórias nesse tempo antigo!
      Abraço!

      Excluir
  14. Deve ser muito bom ter recordações tão gostosas assim.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://nanaeosamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom demais! Convém ir guardando as suas com carinho, rs
      Abraço!

      Excluir
  15. Oi Jussara,
    Eu tive uma infância cheia de vivências incríveis, onde tb se incluia um passarinho azul, só que eu nunca tive uma vida simples. Minha avó gostava muito de mim, mas ela era alguém que falava 5 idiomas, que era formada em Letras, numa época em que as mulheres não sabiam ler e, todo mundo na família falava que ela era uma fera! comigo ela era doce, muito doce.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que a doçura dela lhe ficou, Betty!
      Abraço!

      Excluir
  16. Vim avisar que acabou de entrar lá, onde indiquei teu post! Adorei! bjs, chica, lindo fds!

    http://lugarescoloridos.blogspot.com.br/2016/04/bc-da-silvana-n-2.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que delícia, Chica, receber sua indicação! Amei muito essa bisavó e fico feliz por ter conseguido repartir com doçura essa lembrança.
      Obrigada - sempre - pelo seu carinho comigo e meus escritos.
      Abraço!

      Excluir
  17. Jussara, Chica tem uma qualidade preciosa: a de nos presentear com indicações fantásticas de blogues como o seu! Estou aqui pasma de emoção pelo seu lindo e perfeito relato e também apaixonada pelas telas de Leonor Machado! Beijinhos Para as três!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Maria Luiza! Que bom que gostou!
      Abraço!

      Excluir
  18. Bom dia, querida Jussara!
    Todas imagens são refrescantes demais... aliviou-me muito passar por aqui...
    Vim lá da Chica, nossa amiga em comum...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rosélia! Nesses tempos caóticos em que vivemos, o que seria de nós sem um pouco de beleza, não é mesmo?
      Obrigada pelo carinho!

      Excluir
  19. Oi Jussara, é a Vi, seus textos sempre deliciosos, eu entro dentro deles, como se fossem minhas memoria, vejo as cenas com saudades.
    Uma semana abençoada
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
  20. Oi Jussara, sempre um prazer vir aqui. Adorei a pintura dos pássaros vou ver o blog da amiga com certeza. Eu não conheci nenhuma das bisas, mas convivi ate a adolescência com minhas duas avós que guardavam as mesmas histórias que descreveu - O passarinho azul era a cara de que estava enamorada de alguém kkkk Também guardo doces lembranças dessa época. Bjs e linda semana pra vc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Yvone, quando fui ficando mocinha o passarinho azul passou a ser referido quando víamos, minhas primas e eu, algum "paquerinha", como falávamos naquela época, rs
      Obrigada, querida!

      Excluir
  21. Lembrança linda amiga sempre muito bom vir aqui no seu blog, adoro, apesar do meu pouco tempo para lhe visitar sempre que venho é muito bom parabens pelo post, amiga vim lhe desejar um ótimo feriado bjkas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Dinha! Fico feliz que goste do que aqui encontra.
      Abraço!

      Excluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!