Breve lua – apreciação de Sylvio Bazote

Breve lua – apreciação de Sylvio Bazote

 

Na
sequência do comentário
feito por João Antônio Ventura, Sylvio Bazote*, do blog HistóriaS, acha
“merecidos os bons comentários” do autor de Cacos
da Memória
 e de Galo,
galinha e pinto e outras histórias
 sobre o Breve
lua
, meu mais recente livro de poemas.
“O
desenho da menina voando com um guarda-chuva/sombrinha em direção à Lua”,
explica Bazote, “simboliza muito bem a imagem que me ficou da ‘menina arteira’
Jussara após ler o livro – tanto que ele é o primeiro desenho da obra e não
está vinculado a um poema específico, mas à explicação sobre a motivação do
livro.”
“Outro
desenho que, em minha opinião, é muito significativo é a torre da página 74,
alma gêmea do desenho anterior, da página 72, representando o conforto e
proteção que procuramos e encontramos no nosso mundo dentro deste mundo.”

 

 

“Há
outros belos desenhos no livro que completam e ampliam os poemas a que estão
vinculados. Gosto dos conceitos que o Dicionário InFormal mostra.
Nele a palavra ‘tônica’ é assim explicada: ‘ADJ. Diz-se daquilo que atribui
energia, força, que revigora.’ Há em Breve lua, desenhos que cativam
pela técnica, outros pela tônica. Os seus desenhos Jussara, nos pegam pela mão
e, sutilmente, nos levam para tranquilos lugares”.
Não é delicioso receber um comentário assim?
*De
Juiz de Fora – MG, Sylvio Bazote é historiador e psicólogo. Seu blog HistóriaS revela
seus interesses pela história de Minas Gerais, Brasil Colônia, Brasil Império,
Primeira Guerra Mundial, transporte ferroviário de passageiros e psicologias em
geral. Outros interesses de Sylvio podem ser conhecidos em seu blog InspirAção.
Sites/textos citados neste post: 
João Antônio Ventura: aqui
Sylvio Bazote: aqui e aqui
Para saber mais sobre o Breve lua, aqui. Para adquiri-lo, aqui.
Beijo&Carinho,

 

 Jussara
Nota: Em razão de um erro (que eu não soube corrigir) precisei deletar este texto, de 05 de março deste ano, e publicá-lo novamente, razão para transcrever aqui os comentários (pelos quais agradeço!) que recebeu antes que o erro se instalasse.
Como o erro estava relacionado aos links citados, reorganizei-os ao final da postagem de forma resumida, pelo que peço perdão ao João Antônio e ao Sylvio.
 
Quanta honra ver meus
comentários alçados à importância de serem publicados por você, Jussara!
Reafirmo que, em minha opinião, sua essência é a delicadeza! Delicadeza de
bordados em palavras, tecidos, objetos diversos, sentimentos e percepções. E
olha que no mundo cada vez mais corrido e cru(el) em que estamos, conservar
essa leveza é um dom que exige constante manutenção…
Que bom que existem oásis como os produzidos por você para nos refrescarmos da
aridez dos inóspitos desertos cotidianos.
Jussara, o comentário é
inspirador e releva a qualidade das ilustrações da obra, uma outra arte dentro
da que acompanha suas talentosas e sensíveis palavras. Bjs.
Antes de mais,
“Breve Lua” é um título muito bonito, e a capa é linda. Os desenhos
do livro remetem para o universo infantil; com o desejo de sonho no desenho da
menina com o guarda-chuva/sol, e a torre e a casa significando a protecção e
conforto de onde se parte para esse sonho.
O comentário elogioso é muito merecido, e não te conhecia, para além de
escritora, essa faceta também de excelente desenhadora.
Parabéns, Jussara!
xx
Muito interessante 🙂


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *