O que me dói não é o que há no coração

quarta-feira, dezembro 02, 2015 Jussara Neves Rezende 12 Comments


Hoje pela manhã chorei ao encontrar floridos, no quintal, três vasinhos de violetas. Não foi de alegria, foi de saudade. Morreu ontem uma amiga que tinha mãos mágicas para tratar essas flores. Eram sempre viçosas as que tinham a sorte de nascer sob as suas mãos.
Há dores, entretanto, menos específicas... Dói, às vezes, o que falta, o que se espera sem saber, o que seria lindo se existisse. 
A correria do dia a dia impede que se preste atenção a essas dores silenciosas, mas dentro da gente, ignoradas, elas imploram!

Só o poeta para ouvi-las!


Desconheço a autoria da imagem manipulada por mim



Beijo&Carinho,

Jussara

12 comentários:

  1. A sdd por vezes grita dentro da gente

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Oi Jussara, sinto muitíssimo sua perda...
    Que lindo esse poema, não conhecia.
    Sinta-se abraçada com todo carinho

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ju,

    Meus sentimentos, pelo passamento de sua amiga! Belo texto, é interessante como a gente muitas vezes sente dores pelo que não veio, pelo que não chegou a existir, e que às vezes a gente nem sabe o que seria, mas pressente que deveria ter vindo, não é? rsrs.

    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Marly. Parece loucura, não é mesmo? mas é bem assim!

      Excluir
  4. As idades vão aumentando nossas sensibilidades!
    O caminho que antes negligenciávamos, por nos parecer largo, vai se tornando desconfortavelmente estreito e os sentimentos surgem gradativamente mais urgentes, por isso intensos. Deixamos morrer alguns sonhos, abandonamos algumas amizades e outras nos abandonam (mesmo que contra a vontade, como no caso da sua amiga).
    Paradoxal como nossos olhos, quanto mais gastos pelo tempo, melhor percebem algumas coisas...
    Sua amiga deixou uma invejável lembrança: ela é associada a lindas e saudáveis flores.
    Sugiro a você (e todos nós) força, serenidade e gratidão pelo(s) dia(s) que vivemos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom conselho, Sylvio, obrigada! Gostei muito da relação que você estabelece entre sentimentos mais urgentes e a intensidade deles ;)

      Excluir
  5. Oi Jussara, é a Vi, é verdade, são tantas dores, a dor que esperamos sem saber, muitas vezes nos faz sofrer.
    Que Deus te fortaleça.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
  6. Bom dia, colega Jussara!
    Sinto muito por sua amiga...
    Também amo violetas, são minhas flores favoritas. São as flores da simplicidade, sabia? As minhas estão bem bonitas, chegam a viver 5, 6 anos. Formam até tronquinhos.
    São plantas que absorvem muita energia do ambiente. Se quem as cuida tem uma alma serena e o ambiente é igual, a planta se sente bem e prospera. Caso contrário, por melhor que a cuide, ela não resiste.
    Ei, moça!
    Tem postagem novinha em "GAM Dolls (2)". Passe lá pra conferir!
    Ficarei feliz com sua visitinha e comentário, sempre tão gentis.
    Estive um longo período sem computador mas agora, estou de volta. Apareça!
    Tenha uma linda terça.
    Abração pra você! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gam! Gostei muito dessas suas observações sobre as violetas. Eu não sabia nada sobre essa relação com a energia do ambiente e só muito recentemente aprendi a cuidar delas e a obter respostas em forma de flores. Provavelmente por estar mais tranquila e serena agora, com a maturidade.

      Excluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!