A Barbie é uma bruxa, mas é linda

A Barbie é uma bruxa, mas é linda

No texto “A Barbie é uma bruxa”, o escritor Rubem
Alves, falecido recentemente, explica que, diferente das outras bonecas,
meninas e bebezinhos, que servem de aconchego para a menina que as possui e que
as abraça antes de dormir, a Barbie não serve para abraçar em meio ao sono e não
ajuda a afugentar o medo da noite escura e da solidão do quarto.
A Barbie não é uma companheirinha da mesma idade,
nem uma mais nova a quem a criança transfere o próprio desejo de proteção. Ela
é uma boneca adulta, vaidosa e insatisfeita, sempre a desejar mais acessórios,
roupas, sapatos, carros, dormitórios, banheiras, chalé de praia…
“Diferente das bonecas antigas, bebês que se
contentam com uma chupeta e um chocalho”, a Barbie tem uma “voracidade
insaciável (…) nunca está contente”, observa o Rubem. E é essa lição que,
como uma verdadeira bruxa, ela ensina às crianças: “Compra, por favor!”. 
Por estar sempre incompleta, a Barbie vem sempre com
uma pitada de infelicidade.  “Aliás, essa
é a regra fundamental da sociedade consumista”, explica o escritor. “É preciso
que as pessoas se sintam infelizes com o que têm para que trabalhem e comprem o
que não têm”.
“A Barbie tem esse poder: quem a tem está sempre
infeliz porque há sempre algo que não se tem ainda”. Além dos acessórios que
nunca têm fim, a Barbie já é moça, rica, magra e linda. E a menina começa a se
sentir frustrada com o que tem e com quem é num momento em que deveria apenas
brincar e ser feliz.
Eu não discordo do Rubem. Acho mesmo que a Barbie –
e outras bonecas do mesmo gênero – não são as mais apropriadas para menininhas.
Fico feliz, entretanto, que até hoje não tenham inventado, como o autor
sugeriu, a funerária da Barbie, para sepultá-la, pois ainda que não sejam
adequadas como companheiras de infância, as novas
Barbies
estão a cada dia mais lindas e são perfeitos brinquedos de mulheres
adultas e colecionadores.
Eu nunca tive uma Barbie, mas tive uma Susi que
ainda conserva parte de sua beleza mesmo guardada há tantos anos na velha
canastra da qual falei aqui. Ali vive também a Barbie da minha filha. A única,
pois a Ângela sempre preferiu as bonecas de pano, molinhas, dóceis e fáceis de
abraçar.
Eu nunca tive uma Barbie, mas hoje tenho no
Pinterest uma coleção delas, uma mais linda que a outra. As que ilustram este post são apenas algumas. Para ver mais,
visite o meu painel de bonecas aqui
Créditos das imagens aqui
Beijo&Carinho,
Jussara Neves Rezende
Recado aos
amigos
Depois de 3 anos
de blog, não tenho hoje o tempo
necessário para mantê-lo como antes. Entretanto, como me dói a ideia de
encerrá-lo, tentarei ao menos uma postagem mensal. Entre uma e outra, espero visitá-los(as)
sempre que possível. Saudade!


30 thoughts on “A Barbie é uma bruxa, mas é linda”

  • Jussara eu concordo com o Rubens. Acho ela linda(algumas) mas muito chatinha como muitas mulheres consumistas o são,rs..Pra mim bonecas são as com jeitinho de bebê e de menininha!

    beijos praianos, tuudo de bom, sempre legal te ler!

  • BOM DIA, COLEGA JUSSARA!
    ADORO A BARBIE, O MUNDO COR-DE-ROSA ONDE ELA VIVE. PRA FALAR DE BONECAS, SOU MEIO SUSPEITA, NÉ? POR QUE SERÁ? 😉
    EI, MOÇA!
    VENHA ESPIAR MINHA MAIS NOVA POSTAGEM E ENCANTE-SE COM MAIS UMA FOFA RESTAURAÇÃO DE BONECA.
    SE GOSTAR DO QUE VIR E PUDER COMENTAR, FICAREI MEGA CONTENTE.
    AGUARDO TUA VISITINHA SEMPRE TÃO SIMPÁTICA E ESPERO QUE NÃO ENCERRE O BLOG… AO MENOS DE VEZ EM QUANDO, JÁ É ALGO. NÃO SUMA DA "BLOGOSFERA", TÁ? 😉
    TENHA UM LINDO FINAL DE SEMANA.
    ABRAÇÃO "PROCÊ"! 🙂

  • Jussara por primeira coisas parabéns pelo texto.
    Eu também nunca tive uma barbie, nem Susie.
    Nem nunca desejei, sempre joguei com as bonecas de pano que me fazia a minha bisavó.
    Será por isso que sou uma mulher satisfeita de si mesma e do que tenho.
    Mesmo com meus quilinhos a mais, e as primeiras rugas de quarenta anos.
    Eu me sinto bonita e satisfeita da minha vida imperfeita rs

  • Nunca tive uma… e não me fez falta.
    Mas tenho que admitir… são extremamente lindas.
    Minha sobrinha também nunca se interessou prefere bichinhos de pelúcia. menos mau. rsrs.
    abraços cheios de carinho.

  • Concordo plenamente com o Rubem Alves. E como dizes, as Barbies são mais adequadas para adultos colecionadores,do que para crianças. As Barbies significam a ideia de consumismo desde a a infância, introduzindo no jovem cérebro das meninas um certo ideal de beleza e maneira de estar. Alta, muito magra, de saltos altos, bem vestido, com maquilhagem, e sempre sempre com mais peças da boneca para adquirir.
    Nunca tive nenhuma, a minha filha sim, teve algumas, para as quais eu própria fazia novo vestuário.
    A verdade é que nem as crianças conseguem escapar a este espírito consumista. E a Susi, que não conhecia é uma boneca, quanto a mim, muito gira! 🙂
    Tudo de bom, Jussara. Achei interessante o post, muito original.
    E um feliz 2015, que ainda não te tinha desejado.
    xx

  • Oi Jussara,

    as imagens que postou mostram a beleza da tal boneca que, como você, acho que são para as adultas, concordo plenamente! Também não faria uma lápide pra coitada! Ela representa as top models que nos deixam embasbacadas com tanta beleza e roupas especialíssimas. Nunca tive e minhas filhas tinham, como você, a Susi, as Moranguinhos, etc… Adorei a idéia de seu post flor.
    Aproveite bastante o domingo.
    Beijão,
    Lu

    PS:espero que você não feche o blog, de vez em quando faça um post como este flor!

  • Jussara, eu sempre soube, só que nunca o expressei! Havia algo na Barbie que me incomodava e nunca a minha filha possuiu alguma – também, nunca pediu. O texto está excelente, uma análise perfeita. Não me agrada nada o que essa boneca simboliza e também não gosto desse tipo de beleza plástica, em todas as acepções da palavra.
    Não encerre o blog. Não pense nisso. Seria uma má decisão para si e para nós, suas leitoras.
    Beijo

  • Boa tarde querida Jussara..
    quando vi a postagem e sobre quem era lembrei-me que na minha obra infantil fiz uma poesia sobre a Barbie..
    foi meia trabalhosa de se fazer.. mas as meninas um dia vão ler e gostar eu espero.. bjs e até sempre

  • Oi Jussara,

    Eu super concordo com o post. Alguma das fotos que eu vi acima me pareceram até com cara de vulgaridade… dessas eu nunca vi na loja. A minha filha tem poucos brinquedos, ela nunca brinca de casinha e bonecas, ela gosta mais de desenhar, jogar Dama ou brincar com tijolos que tenho sobrando no quintal. A ultima boneca que comprei para ela foram duas Poney (Equestria Girl), dinheiro jogado fora, ela não brinca! Eu tive uma Barbie, mas ganhei tarde demais, eu já era mocinha, brinquei muito pouco, um dia cortei o cabelo dela porque eu queria uma franja kkkkk, ai acabei com a boneca de vez.
    Ju, venha nem que for uma vez por mês, mas não deixe o blog. Eu te espero.

    Beijos!

  • Oi Jussara, é a Vi, olhando as fotos e o que o escritor falou, acho que a Barbie é apropriada para os homens; mas deixando meu lado "perverso" de lado, hoje comentava com Pepa que antigamente as pessoas se conformavam com o que eram, por exemplo a pessoa era pobre, sabia que podia melhorar um pouco, mas não ficavam se torturando querendo ser ricos, ostentar..
    Hoje, se for para trabalhar e ter um salario que não dê para ter um tênis de marca o rapaz prefere ficar na vadiagem, e isso tem levado a nossa juventude se envolver com a criminalidade.
    A geração nem-nem tem aumentado assustadoramente e pelo que li até nos EUA esta sendo assim.
    Então não foi a Barbie que "gerou" uma geração consumista, foi o sistema fundamentado no consumo.
    Amei o texto, eu também tive uma Suzi.
    Muitos beijos,Vi

  • É uma bruxinha linda, da qual só invejo o cabelo farto, que o meu raleia faz tempo, rsrs…O apelo consumista é enorme, ninguém "precisa" de tudo o que vê…Vou lá ver sua coleção, fiquei curiosa.
    Sou da geração boneca de porcelana, Suzi era da filhota, rsrs
    Se o melhor da festa, é esperar por ela, já começo a ser feliz aguardando sua volta!
    Beijinhos, Ana

  • Obrigada Jussara pela postagem maravilhosa, obrigada pela visita e pelas gentis palavras, carinho vem de você e que texto bem escrito, também tive Susi e muitas bonecas, achei super interessante a abordagem e nos faz pensar nos valores que vao se semeando. Vou ver teu pinterest, amei as barbies, realmente lindas demais. bjos querida, um ano glorioso prá ti e os teus.

  • Entendo a visão de Rubem Alves da Barbie, mas gosto da insatisfação bovarista dela. Acho que brincar com bonecas bebê é pior, porque limita à menina a pensar sobre a maternidade, enquanto a Barbie dá outros horizontes de possibilidade. Ainda mais por ter diversas profissões.

  • Jussara, querida!

    Quanta verdade! Acho que devo ser anormal… mas eu não consigo me impressionar com esta boneca. Seguindo a ideia de Rubem Alves, acredito que Barbie é um objeto de exposição e não um brinquedo.

    Boa semana!
    Beijo grande

  • Oi Jussara,
    Amo Barbies, mesmo bruxas! Era minha brincadeira favorita e olha que curioso, o que eu mais gostava, era arrumar a casa delas, separava os cômodos com caixas e tinha muitos móveis.
    Me apaixonei por essas que você mostrou. Nunca tinha visto assim tão bonitas.
    Beijos

  • fiquei bem surpresa em ver este post e confesso que as imagens dessas Barbie são lindas e , talvez seja esta a relação de bruxa que o autor do livro a atribui..
    nunca tive bonecas e sempre inventei minhas brincadeiras ,mas hoje tenho sobrinhas já adolescentes que colecionam estas bonecas e são vaidosas sim, não saem de casa sem um protetor, uma base, gastam as mesadas em esmaltes de unhas e roupas, são lindas com apenas doze anos com cara de adultas já a espera de conhecerem um ricaço…uma grande dificuldade que tenho com essas meninas lindas são quando falam alguma coisa( vazio),mas esse é um estereótipo da geração, acho que a influência dessas bonecas são de isolamento e de um mundo de fantasia como qualquer história da cinderela não causam tanto mal ,e o mal maior são as novas bonecas verdadeiras bruxas que incentivam as meninas nas tatuagens, percing, drogas, maquiagens de vampires e drogadas…nestas moram um perigo e passam a imagem para a turminha das sonhadoras e do bem das Barbie , Susie e outras inofensivas:
    nós temos o poder, um poder maligno, maléfico, vadiagem ,de morte, de sobrenatural e não precisamos de família ,pq não queremos ordem e nem regras… são as bonecas monster high fazendo a moda,a cabeça das criancinhas..

    espero ter contribuído com a reflexão,tb tenho um filho pequeno e sei as dificuldades em ajuda-lo a ser melhor,bjs

  • oi Ju, eu também sou do tempo da Susi, e fazia muita roupinha pra ela.
    Talvez no noso tempo a gente não tinha necessidade de comprar mais do que ela ja tinha, porque acho que
    gostávamos de inventar. Ou não haviam roupas da Susi separadas ou eram cras e eu não tinha, rs.
    Mas realmente a barbie é um poço sem fim, tem a casa, incentivando o consumismo. Como sempre fui
    pouco consumista acho que meus filhos virem na mesma onda. Compra-se qdo é realmente necessario.
    Acho que se educarmos assim não ha problemas em ter as famosas e minha filha teve algumas.
    Nunca vi as fotos da barbie no pinterest apesar de andar sempre por lá, vou conhcer teu albúm.

    Bju amiga, não pare seu blog, vai levando devagarinho 😀
    ana

  • Jussara querida, para além de tudo o que argumentou, e bem, tenho a acrescentar que a própria imagem corporal é um atentado à saúde das meninas. Está provado que uma mulher com as proporções físicas da Barbie (tamanho da cintura, por exemplo) não poderia sobreviver, pelo menos não com saúde. Então, as meninas crescem a pensar que para serem ricas e lindas têm que ser absurdamente magras. Daí aos distúrbios alimentares, é apenas um passo. Claro que não é só a boneca, a maior parte das imagens de revistas de moda "dizem" a mesma coisa.
    Excelente postagem, como sempre.

    Fico com pena da sua falta de tempo, porque é sempre um prazer ler o Minas. Mas entendo perfeitamente, também eu travo uma luta permanente contra o tempo.
    Beijinhos querida, um doce restinho de semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

  • Oi, Jussara!
    As Barbies são lindas mas você tem razão, não são para crianças!
    As bonecas Alexandra Kokinova também são para adultos porém a beleza delas é religiosa.
    Bonecas parecidas com crianças me dão medo! (rs*)
    Bom mesmo são as bonecas de pano que as avós do passado carinhosamente confeccionavam.
    Beijus,

  • Oi Jussara, querida

    Eu nunca pensei na Barbie, vendo por esse lado. Além de ser bonita, concordo muito com o texto.

    Minha netinha ganhou várias, mais a mãe dela, não deixa ela brincar, por causa que os objetos são muito pequeninos, assim como óculos, sapatinhos e outras coisinhas

    Quanto ao blog, também estou sem muito tempo, pois marido com Parkinson, depende muito de mim. Mais de vez em quando mostro alguma novidade.

    beijo carinhoso

  • Que postagem interessante!
    Dá o que pensar sobre os padrões de estética e consumo que vivemos, sobre esta insatisfação estimulada na essência do consumismo que nos consome… os comentários desta postagem são prova disso!
    A estética sempre impecável do blog e os links para imagens só salientam a qualidade do seu trabalho, que descobri agora se desdobra em belas coleções de fotos. Parabéns!
    Continue nos brindando com sua inteligente e elegante visão do mundo.
    Um abraço.

  • Que post heim, linda…..
    Amei, para cada padrão tem uma estética diferente da outra, suas imagens refletem bonecas quase que naturais, seu trabalho e qualidades de seu blog e link são ímpar, se desdobra a cada coleção de fotos surpreendentes. Parabéns linda!!!
    Continue com sua coleção de Barbies elegantes e blindadas com seu glamour, e que venha uma visão de mundo desdobrada das convencionais…
    Um forte abraço…!!!

  • ola eu super discordo elas sao lindas,vaidosas…como a barbie e a monster high nao influencia em nada eu tenho o monte de monter high e o monte de barbie e é uma das minhas brincadeiras mais favoritas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *