Literatura com cara de criança e resultado do Concurso Cultural

Literatura com cara de criança e resultado do Concurso Cultural
“Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!/ Criança! Não verás nenhum país como este!”, escreve belamente Olavo Bilac a inaugurar o que seria a poesia voltada para crianças na virada do século 19 para o 20 (o poeta viveu de 1865 a 1918). O tom utilizado, entretanto, revela bem a concepção que se tinha, à época, a respeito da literatura infantil: um recurso para ensinar às crianças – vistas como adultos em potencial – aquilo que (acreditavam) lhes convinha saber.
Essa percepção será modificada, no Brasil, a partir da obra de Monteiro Lobato (1882-1948), que através de seus personagens revolucionários – uma boneca de pano que fala e tem sentimentos, um sabugo de milho que é um Visconde – e, ainda, do pó de pirlimpimpim (com o qual nem depois de adulta eu deixei de sonhar) imprimirá aos
seus textos um tom de aventura com o qual é impossível o jovem leitor não se identificar.
Desde então a literatura escrita para crianças tem perseguido esse olhar inaugural sobre a vida, o mundo e as coisas: o olhar de quem vê como se pela primeira vez.
.
.
.
.
“Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!/ Criança! Não verás nenhum país como este!”, escreve belamente Olavo Bilac a inaugurar o que seria a poesia voltada para crianças na virada do século 19 para o 20 (o poeta viveu de 1865 a 1918). O tom utilizado, entretanto, revela bem a concepção que se tinha, à época, a respeito da literatura infantil: um recurso para ensinar às crianças – vistas como adultos em potencial – aquilo que (acreditavam) lhes convinha saber.
Essa percepção será modificada, no Brasil, a partir da obra de Monteiro Lobato (1882-1948), que através de seus personagens revolucionários – uma boneca de pano que fala e tem sentimentos, um sabugo de milho que é um Visconde – e, ainda, do pó de pirlimpimpim (com o qual nem depois de adulta eu deixei de sonhar) imprimirá aos
seus textos um tom de aventura com o qual é impossível o jovem leitor não se identificar.
Desde então a literatura escrita para crianças tem perseguido esse olhar inaugural sobre a vida, o mundo e as coisas: o olhar de quem vê como se pela primeira vez.
.
.
Esta imagem e as anteriores são pinturas de Sophia Gengembre Andreson
.
.
Foi esse olhar que percebi na obra de João Antônio Ventura, Galo, galinha e pinto e outras histórias e por isso encantou-me tanto a possibilidade de realizar aqui no blogum Concurso Cultural sobre “contação” de histórias.
.
.
.
.
Outras possibilidades de encanto, todavia, ainda me aguardavam: as experiências compartilhadas em cada inscrição para o Concurso, engraçadas umas, emocionantes outras, enriquecedoras todas!
Obrigada, de coração, a cada um que deixou aqui um pedacinho de sua história que, compartilhada, agora também me pertence.

Confesso que é bem mais simples fazer um sorteio. Sorte é sorte e não é preciso ficar com o coração na mão para se escolher os vencedores. João Antônio e eu tivemos bastante trabalho, nesse sentido, pois os casos contados foram muito bons, interessantes todos e muitos se equivaleram. Três foram os escolhidos porque esse era o combinado (e nesse ponto a seleção esbarra na subjetividade), mas outros poderiam figurar aqui com a mesma grandeza (confira aqui).

Os comentários escolhidos foram:
.
.
.
.
ATUALIZAÇÃO – 20h35
Como podem conferir nos comentários, o João Antônio acaba de estender a premiação, alcançando mais três comentários! Essas felizes participantes também receberão em casa um exemplar de Galo, galinha e pinto e outras histórias! São elas:
.
.
.
.

Parabéns às vencedoras!

Entrem em contato comigo (meu e-mail está na lateral do blog, no meu perfil) a fim de me enviarem seus endereços para que eu possa encaminhar seus prêmios.

 

Beijo&Carinho,
.


23 thoughts on “Literatura com cara de criança e resultado do Concurso Cultural”

  • Em primeiro lugar, parabéns às vencedoras. E, Jussara, gostei muito do concurso e das finalistas. Tanto que estou aqui com uma ideia, vê se você concorda. Que tal aumentarmos as premiações para seis? Você escolhe mais três, da lista que mandei ou incluindo outros, fica a seu critério. Eu mando mais três exemplares ou remeto-os diretamente para os ganhadores, como você preferir. Pode me responder aqui mesmo no Minas. Hoje estou aqui com a Yasmin, vou com ela e a Rita tomar um açaí na pracinha. Abraços e bom fim de semana.

  • Nem sei como agradecer… Muito feliz em ser escolhida.
    Jussara vc foi uma fofa escolher um texto escrito tão rapidamente e cheio de errinhos.
    Obrigada Jussara e obrigada João Antonio Ventura.
    Vou presentear minha sobrinha com o livro e depois posto fotos. bjus muitos. Adorei!

  • Que delícia, Jussara! Muito feliz por estar entre as escolhidas, pois foi sem pretensão nenhuma, que ocupei seu espaço para contar a historinha. É que você me inspira, a lembrar desse meu namoro com causos e histórias, rsrs…Obrigada a você e ao João Antonio Ventura, minha criança interior está muito contente!
    Beijinhos, Ana

  • Que surpresa, Jussara!
    Todas as histórias são lindas, não esperava estar entre as escolhidas, muito obrigada.
    Enviarei o endereço a você por e-mail, aguardarei ansiosa por este lindo livro, tenho dois sobrinhos que se encantarão ao ouvir essas histórias.
    Bjs e um lindo domingo

  • Que bom Jussara, o resultado saiu e o autor, colaborou na seleção.
    Só conheci depois do seu texto sobre seu pai. E foi emocionante.

    Essa poesia de Olavo Bilac acho que ainda lembro dela toda.
    Penso que quando estudei, era quase obrigatório, decorar poesia.

  • Jussara querida, antes de tudo desejo uma ótima semana para você e também quero agradecer seu belo comentário em Raminhos de Pano.
    Adorei ler as mensagens dos vencedores =D
    Parabéns a todos e em especial a você pela brincadeira. Eu adoro escrever contos infantis, tenho um book aqui no computador e lá sempre rabiscos os acontecimentos da Família Felix entre outros.
    Grande abraço, Nanda.

  • Sempre gostei de ler, desde que me entendo por gente! Li todos os livros do Monteiro Lobato, me lembro dos contos dos irmãos Grimm, do Christian Andersen e tantos outros que povoaram minha imaginação de criança…hoje procuro incentivar meu filho na leitura…bjossss

  • Super bacana esse concurso e toda essa movimentação que você criou. Emocionante para cada participante, com certeza. Dar voz aos sentimentos das pessoas é mesmo uma sensação muito especial. Parabéns!
    Bjos,
    Cam

  • Olá Jussara,

    Perdi uma ótima oportunidade de participar desse concurso e concorrer ao livro. Uma pena. Parabenizo os contemplados. Li os comentários todos lá na página da participação e as escolhas foram excelentes. Parabéns pela interessante e rica iniciativa!
    Lindas as pinturas que ilustram sua ótima postagem.

    Beijo.

  • Gostei de tudo nesta postagem: das informações sobre literatura infantil no Brasil, das lindas imagens de crianças lendo e da premiação à criatividade e capacidade literária, transformando emoções em letras (e textos em livros).
    Parabéns!

  • Oi, Jussara! Voltei para contar que recebi, li e amei o livro…Já entreguei para minha irmã, que será a contadora para o Gustavo e a Alana, seus netinhos…Histórias assim, deveriam ser recomendação médica, para combate ao mau humor e como prenúncio de bons sonhos! Obrigada!
    Beijinhos, Ana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *