A percepção da nuance

A percepção da nuance

Punham-me
para dormir na sala do pequeno apartamento num edredom dobrado onde também
dormia meu irmão. Éramos crianças e visitávamos nossos tios em São Paulo. Meu
irmão, mais novo que eu dois anos, dormia logo e nem imaginava as agruras pelas
quais eu passava acordada sendo vigiada
pela Monalisa. Sim, refiro-me a uma cópia da tela de Leonardo da Vinci que
havia numa das paredes da sala e que durante o dia já me atormentava em virtude
do olhar enigmático da figura retratada que parecia convergir para qualquer
lugar onde eu estivesse. Se me sentasse em frente ao quadro, Monalisa me
olhava; da porta da sala, ou do lado oposto, num pequeno hall que conduzia aos outros cômodos, os olhos misteriosos da
figura me encontravam. Eu tinha medo dela e me indagava sobre as razões que
poderiam levar alguém a escolher, entre tantos quadros possíveis, justamente
aquele.

Passei
anos embirrada com a pintura até ser capaz de contextualizá-la no tempo –
trata-se de uma tela de mais de quinhentos anos – e de perceber o jogo de luz e
sombra utilizado pelo pintor a ponto de realçar rosto, colo e mãos. Estas se
apoiam numa naturalidade que partilham com o flexionar dos dedos e com o
sorriso que se esboça nos cantos dos lábios e dos olhos, aproximando La
Gioconda inquestionavelmente daquilo a que chamamos real.

São
escuras as roupas de Monalisa, bem como o tênue véu sobre os cabelos; há
sombras que definem o contorno de seu rosto e conferem profundidade ao olhar
que o expectador não consegue compreender se é irônico, se tímido, orgulhoso,
apaixonado, judicativo…
Faltava-me,
quando criança, a percepção dessas nuances para apreciar a pintura e essa falta
me levava a temer a mulher retratada cujos olhos, sem a proteção de cílios e sobrancelhas,
devassavam, implacáveis, um perímetro de 180 graus.

Atentos,
por sua vez, à importância das nuances na pintura, artistas de Sydnei,
Austrália, usaram 3.064 copos com café, leite ou a mistura de ambos, em
proporções adequadas para criar as nuances necessárias a fim de formar o rosto
da Monalisa:

Imagens recebidas via e-mail
Achei
um trabalho formidável e quis compartilhar com você, leitor(a) amigo(a), assim
como minhas memórias de uma cópia da tela de Da Vinci. O que você achou?

Comente,
comente, comente… vou amar!

 Beijo&Carinho, 

Jussara



29 thoughts on “A percepção da nuance”

  • U-au!!!
    Sei que isso nem se separa, mas u-au!! rsrsrsrs

    Que idéia maravilhosa!
    Eu fico me perguntando como uma pessoa pensa numa coisa dessas! hehehehe

    Olha, vou te confessar que esse quadro também me deixa desconfortável, e até hoje!
    Sempre deixou! =P
    Mas é uma bela pintura, com certeza!

    :***

  • EITA, NÓIS!!
    HAJA CAFEZAL E VACA PRA TANTA OBRA DE ARTE, SÔ!!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    ADOREI!! KKKKKKKKKK
    JUSSARA… POSTEI HOJE UM CONCURSO FOTOGRÁFICO NO BLOG DOS MEUS GATOS E UM SORTEIO CULTURAL DE DIA DAS CRIANÇAS EM GAM DOLLS.
    PASSE POR LÁ PRA ESPIAR. ESPERO TE VER PARTICIPANDO DOS DOIS, OK?
    TENHA UMA LINDA QUARTA!
    ABRAÇÃO PROCÊ, FIA!!

  • Adorei, Jussara! Linda a criação com os copos…Mas ri muito, imaginando seu medo da Monalisa,rsrs…É verdade que os olhos infantis não vêem muitas coisas, mas pensando bem uma mulher que te olha de todos os cantos, é assustador…
    Bjs,Ana

  • Ju estou aqui espantada, mas ao mesmo tempo encantada com tamanha obra de arte!!!
    Que grandeza, que perfeição. Monaliza é um, mistério pra mim.
    Eu ainda estou aqui a observar essa arte.

    Beijinhos super carinhoso.
    Lorena Viana

  • Oi Jussara
    Então, com certeza especialistas, críticos e artistas renomados já estudaram todos os mistérios que envolvem essa obra.
    Da primeira que estive em Paris o Louvre sem dúvida fazia parte do roteiro.Afinal, O quadro da Monalisa vive no imaginário de quase toda a humanidade…A decepção é não conseguir enxergar o quadro de tão pequeno que é. Sem contar que fica dentro de uma caixa de vidro tão distante que mal dá para apreciar a obra.
    Adorei o trabalho artístico da exposição.
    Obrigada por se lembrar do meu aniversário viu?!
    bj yvone

  • Trabalho impressionante, vou mostrar para a Profª de Arte. Minha história com um quadro específico é da época da faculdade. Havia um quadro na biblioteca em tons quentes com um sol desenhado bem no meio e só. Eu olhava aquilo e me dava sede, imaginava um deserto, me angustiava… Um dia comentei com uma colega e ela disse que imaginava verão, a praia cheia, muita animação… Veja só como as impressões mudam! Imagino que o autor da pintura não tenha imaginado nenhuma dessas ideias…rs

  • Oii Jussara, adorei, imagino vc criança tentando assimilar a presença da Monalisa, afinal p uma criança, que mulher é essa né! rsrs, amei a obra de arte com potes, muito bem desenhada! Obrigado pela presença durante minha ausência e sorte no sorteio! bjosssss

  • Oi, Ju,

    Eu acho que muitas crianças (a maioria, talvez) tendem a – na penumbra – associar as imagens e objetos a coisas assustadoras. O meu marido tem uma sobrinha que ficava com medo das próprias bonecas, se as visse no meio da noite, rsrs. Ela dizia que as bonecas pareciam encará-la, com aqueles olhos fixos, rsrs. A Monalisa é mesmo uma figura enigmática e pode ser assustadora, para uma criança. Já disseram até que ela é o próprio Da Vinci, travestido de mulher, não é? Minha filha Lili sente um certo fascínio por este quadro, e até fez uma versão dele, uns anos atrás, rsrs.
    O trabalho dos artistas australianos ficou fabuloso, incrível mesmo!

    Um beijo!

  • Pois é, Jussara!
    Fala pra sua essa dica mesmo! Vai que serve?! hehehehe

    Se as fitas forem pequenas, tipo, de comprimento, dá até pra colocar tudo num rolo só.
    Sabe aqueles de papel toalha? São bem grandes e tal… esses dão certinho! x)

    Um ótimo restinho de semana!!! 😉

    :***

  • Que lindo!!!
    Artista é uma coisa fora de série mesmo, né?
    Essa birra com a Monalisa eu já tive na infância, mas não com Monalisa, mas com aqueles quadros de anjos e demônios, que sempre colocavam nos quartos das crianças. Um horror!

    Beijos, querida!

  • oi JU

    Adorei sua história, como é bom relembrar nossa infância e percepções daquele tempo.
    A arte feita com os copos ficou fantástica!!!!!
    Adorei o comentario da Santinha sore a visita ao museu.
    Obrigada também pelo comentário na postagem da minha primeira casa e o novo mundo de ser mãe. Como éramos novinha,s já pensou se tivéssemos a cabeça de hoje? com certeza fui bem mais tranquila na segunda experiência de maternidade.
    Nossa, o que não falei foi que meu gu chorou da maternidade aos 7 meses, era um sofrimento, eram cólicas, dentes muito cedo, ele tinha ma hernia no umbigo. Mas depois de um aninho esse menino nunca mais deu trabalho, kkk

    bjus, lindo findi pra ti!

  • TUDO NO FINAL DÀ CERTO, SE AINDA NÃO DEU, È PORQUE NÃO CHEGOU O FINAL.
    Por isso acredite sempre em Deus.
    Acredite no Tempo, na Amizade, na Sabedoria,
    e principalmente no Amor.
    Aí com certeza um dia a Felicidade, baterá em sua porta.
    Tenha Tempo para os seus sonhos, eles conduzem sua carruagem para as estrelas.
    Tenha FÈ em DEUS!
    Tenha um excelente final de semana.
    E não esqueça, SORRIA Sempre.
    Por maior ,que seja a difilculdade .
    O sei sorriso pode alegrar a vida dos que te cercam.
    E a minha vida também.
    Deus abençoe seu final de semana beijos na sua alma.
    Não deixe de participar do sorteio de dois livros
    de um grande amigo.
    O link do blog esta na postagem ,e o selinho de paicipação também.
    Vamos ser unidos não importa o Estado do Brasil,
    ou Pais ,que você mora somos blogueiros unidos,e acima de tudo
    amigos sem fronteiras.

  • Ju, tenho duas alunas classificadas na Olimpíada de Língua Portuguesa na etapa municipal: uma na categoria poemas e outra em artigo de opinião. Estou muito feliz, queria lhe contar e agradecer. Sua ajuda foi muito importante para direcionar meu trabalho. Muito obrigada.
    Abraços!

  • Olá Jussara, tudo bem?
    Senti falta de suas visitas e comentários, mas pensei aqui com meus botões, a Jussara deve estar na correria que a vida oferece….
    Amo quando você comenta, pois sei que são comentários carinhosos,mas sinceros, e faz com que minha auto-estima melhore sempre.
    E com isso tenho que te agradecer muito,muito mesmo.
    Quanto a Feirinha, vai ter sim, uma mês que vem, que é o mês das crianças……
    Quanto ao seu post relatando o medo de infância, eu não ri e sim me pus em seu lugar, fiquei só imaginando como a famosa Monalisa te assustou e assusta até hoje nós adultos imagine uma criança,tão inocente, como você era que medo não passou com esses olhos.
    Mas o tempo é o melhor remédio, remédio do conhecimento do qualvocê tomou uma dose + ou -, que sarou,ou pelo menos amenizou.

    Brilhante a ideia dos copos,por isso que sempre falo,Deus é maravilhoso conosco, sempre oferecendo gratuitamente os dons para nós……..

    Tenha um Domingo recheado de bençãos…!!!!

    BJS no coração!

  • Ju querida, como você está? Saudade de suas belas palavras…

    A primavera chegou em nossos corações, quero te desejar que a primavera traga muitas alegrias e bençãos! Muitas coisas boas a você.
    Linda semana.
    "Que tudo que mais lhe importa, floresça!" Ana Jácomo
    Beijo grande!
    Lorena Viana

  • Oi, Jussara!
    Fantástica sua apreciação da Mona Lisa!!! E releitura com copos… uau! Adoro a utilização de materiais inusitados para compor obras de arte!
    Ó, obrigada por suas visitas e comentários no meu blog! Adoro!!!
    Beijins e boa semana!
    Andrea

  • Jussara

    Obrigada por tão magnífica postagem.
    A arte tem mil facetas. E essa justaposição de copos, não tinha visto. Adoro arte assim, inusitada.
    Também me incomoda o olhar inigmático de Monalisa.
    Gosto muito dos seus textos.
    Um bom final de semana
    Beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *