Nem só de palavras vivem os poetas

terça-feira, maio 15, 2012 Jussara Neves Rezende 21 Comments



Além de aproximar língua escrita e língua falada, o Modernismo propôs o chamado poema-pílula – poemas pequenininhos, devido à correria da vida moderna, mas que garantissem, no breve instante de sua leitura, a “dose” necessária de poesia para enfrentar a vida. Mais tarde, nos anos 50, foi a vez de o Concretismo experimentar poemas com ainda menos palavras, brincando com essas no branco da página de modo a criar através de sua disposição uma imagem “concreta” da ideia que o poema se propunha transmitir.

Tal experimentalismo não se esgotou nessa experiência pós-moderna, como fazem supor os livros didáticos. Ao contrário, prosseguiu de um modo tímido, mas contínuo, a ponto de chegar aos nossos dias e se enriquecer com possibilidades sequer imaginadas antes da informática.
Falo do movimento do poema visual, visível no Brasil a partir dos anos 70 através de exposições e publicações alternativas. Tal movimento se caracteriza por valorizar a leitura da imagem; palavras até podem compor o poema visual, mas de forma a se fundir com a(s) imagem(s) escolhidas formando um todo harmonioso “capaz de permitir ao vleitor” – aquele que lê e vê ou só vê",  explica Hugo Pontes – “uma infinidade de leituras, de acordo com o nível do seu conhecimento, experiência, cultura e escolaridade”. Quanto à temática, os poemas visuais seguem, em certo sentido, a mesma dos poemas feitos com palavras: o homem e seu estar no mundo. O posicionamento do artista, entretanto, é quase sempre crítico.


Hugo Pontes, poeta visual

Apesar de sobreviver basicamente de publicações alternativas, o poema visual está espalhado pelo mundo. No Brasil seu núcleo mais vigoroso e consistente se encontra em Minas, representado pelos poetas Joaquim Branco, Márcio Almeida, Marcelo Dolabela, Sebastião Nunes e Hugo Pontes.

A página ComunicARTE, do Jornal da Cidade de Poços de Caldas-MG, editada por Hugo, é um dos mais importantes veículos para divulgação do poema visual no Brasil. São desse poeta, também, os dois poemas visuais abaixo, lembrados mais que na hora de conferir um pouco mais de visualidade a este artigo:


 


Note que o poema “Nós” descontrói a imagem romântica que o imaginário comum tem sobre um poema com esse título. Ao invés de uma ilustração de um casal de mãos entrelaçadas e de longos versos sobre o sentimento por eles experimentado, o poema visual de Hugo Pontes entrelaça de gravata e de forca, sugerindo, ao invés do pensamento romântico, as pressões e convenções sociais que cerceiam a liberdade. O termo “nós”, no poema de Hugo, tanto pode ser lido como os nós citados (da forca, da gravata), quanto como um pronome: “nós” dois. Nesse último sentido, o poema se converte numa crítica direta ao casamento que, atrás do aparato festivo (gravata) esconderia seu verdadeiro sentido (forca).





No poema Barca Bela, a leitura linear (linha por linha, como normalmente se lê) possibilitará apenas a repetição da frase “A BARCA BELA”. No entanto, se o vleitor optar por ler num primeiro momento apenas o que está grafado em preto e depois o que está grafado em branco, ou vice-versa, encontrará a repetição da mesma frase, mas seus olhos se deslocarão pelo poema visual como se na barca estivesse, pois a frase é desmembrada de forma a compor o movimento das ondas. O que me encanta é que o poeta, usando sempre as mesmas palavras, consegue imprimir movimento ao texto, coisa que Almeida Garret, poeta do Romantismo português, precisou criar através de métrica e rima:



Pescador da barca bela
Onde vais pescar com ela,
Que é tão bela,
Oh pescador?


(Fragmento)


Bem declamados os versos do poeta português, nos quais o poema de Hugo certamente se inspira, sugerem também o ir e vir das ondas, percebe? Também aqui há a desconstrução de um universo – o do romântico poeta que adverte o pescador sobre o perigo das sereias – e a criação de um novo no qual a própria barca – seu movimento e beleza – é todo o sentido do texto.


O que achou? Quer saber mais? Acesse aqui a página do Hugo.



Comente, comente, comente... vou amar!


Beijo&Carinho,

 Jussara

21 comentários:

  1. Olá Jussara! Gosto muito de Poesia Visual. Aqui no RN temos alguns poetas que seguem este estilo. Um deles é o J. Medeiros. Grande poeta que admiro muito!
    Tenho algumas poesias curtinhas, a chamada poesia modernista....a qual, para muitos, nem é considerada poesia, só um amontoado de palavras.
    Meu ex-professor do curso de Letras (Humberto Hermenegildo) queria muito qua eu publicasse meus poemas, mas nunca quis. Prefiro que eles continuem engavetados. Gosto muito das poesias com jogo de palavras, curtinhas e com efeito visual.
    Aprecio muito Leminski, Arnaldo Antunes e os Mestres do Concretismo (Os Irmãos Campos).
    Bjos no coração!

    :))

    http://baudaarteira.blogspot.com/
    http://gotasdesimplicidade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Isabel, que delícia o seu comentário! Quer dizer, então, que você também escreve! E deixa tudo guardadinho... Menina, você não tem noção do quanto sou curiosa... talvez seja o meu maior pecado... rs. Qualquer dia vc me mostra um poema seu, né? ;) Ah, mostra, vai!

    ResponderExcluir
  3. Olá Jussara, tudo bem?
    Hoje eu comecei a colocar meus emails em dia e ler meus recados também...

    Assim que colocar tudo em dia, volto ao meu ritmo normal.....

    Minha linda, apesar de eu não ter o hábito de ler livros, poemas ou poesias, todas as vezes que te visito, fico impressionada que leio seu poste e amo todos eles, dessa vez, eu até li A BARCA BELA em forma de ondas e pude observar que realmente é muito inteligente e fantástico isso, e que o poeta é realmente incrível.
    Tiro o chapéu para você que tem todo esse conhecimento e com sua dedicação tenta transmitir em palavras o quanto isso é maravilhoso e importante para nós que temos menos conhecimento. Parabéns pela sua enorme generosidade, pois se nós não tivéssemos pessoas assim como você, não teríamos a chance de ter a oportunidade de saber a respeito dos escritores, poetas de nosso país.

    BJS e ótima quarta feira....!!!!

    ResponderExcluir
  4. Jussara! Que saudades de eu ja sentia de te visitar... Amo a forma que vc "fala" conosco, e de como vc nos apresenta sempre um pouco mais de cultura...

    Bjuuu
    Joanna

    ResponderExcluir
  5. OLÁ, COLEGA!! QUE BATUTA POESIA VISUAL!! É SEMPRE BOM SAIR DO ROTINEIRO E APRENDER NOVAS TCÉNICAS DE INTERPRETAÇÃO! E NESSE CASO, MAIS BACANA AINDA: O POETA É DA TERRINHA, UAI!! MINAS É RICA DEMAIS EM CULTURA, UMA BELEZURA!! Ó NÓIS PÁ PROVÁ!! KKK
    CARA COLEGA, QUERO CONVIDÁ-LA A VISITAR MEU NOVO BLOG: "GAM NA COZINHA". UM BLOG CULINÁRIO SUPER BACANA! EM GAM DOLLS, POSTEI A TILDA QUE TE FALEI. FIZ E FICOU UMA FOFURA!! PASSE PRA VER. TAMBÉM TEM UMA MIMO ESPECIAL LÁ PRA VOCÊ, COLEGA! MEU BLOG COMPLETOU 3 MESES E EU FIZ UM MIMO PRA QUEM ME SEGUE. NO BLOG DOS MEUS BICHOS, TEM UMA EXPLICAÇÃO SUPIMPA SOBRE AS 7 VIDAS DOS GATOS. APAREÇA!! COISINHAS TEM UM PUNHADÃO, MUITO BÃO!!
    ABRAÇÃO PROCÊ E INTÉ MAIS VÊ!!
    VISITE: http://gamnacozinha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. OI Jussara, lindeza!

    Mas que gentil visitia me fez?! Adorei ,viu moça? E pode xeretar o quanto quiser rsrsrs....

    Mas teu blog simplesmente é algo de arrebatador (pelo menos pra mim), que amo Literatura. Tive uma aula aqui, obrigada por este momento.

    Quer dizer que és poeta? Oh, bom saber disto. Eu rabisco alguma coisa de versos, depende da hora hehehe.

    Já fiquei fã e me sentindo em casa tb!
    Beijo grandão pra ti, querida, e tenha um lindo dia!
    :)

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia obrigada pela oportunidade, poetas são palavras que voam...
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  8. Querida Jussara!
    Fiquei daqui de longe impressionada em ver como você navega bem entre as linhas de tantos poemas e emoções... Uma admirável narradora de tantos versos e prosas!
    E entre os diferentes meios que os verdadeiros poetas usam para se expressar e dar forma à sua arte, sejam eles visuais ou não, o que mais me encanta é sempre a capacidade humana de transformar letras e símbolos em verdadeiros espelhos humanos repletos de emoção!
    Parabéns pelo lindo texto que nos leva a navegar contigo por este poético e infinito oceano...
    Beijo carinhoso no teu coração!!!!
    Teresa
    ("Se essa lua fosse minha")

    ResponderExcluir
  9. oi Ju, eu realmente não tinha ideia desta categoria, até muito bem humorada!!! sou muito do visual, um post sem fotos não consigo fazer.Vc passa muito bem as explicações pra gente, é um dom!

    bjus querida, obrigada pelas visitas ao Jeito de Casa

    ResponderExcluir
  10. Querida Jussara! Achei muito bacana a forma como vc explica o tema...Tudo tem um conteúdo diferente ao segundo olhar...
    Bjnhos,Ana

    ResponderExcluir
  11. Que legal Jussara essa postagem! Vou lhe confessar que não conhecia a expressão "Poema Visual", mas achei bem interessante. Parabéns pela matéria!

    ResponderExcluir
  12. Oi Jussara, é a Vi, definitivamente eu dormi nas aulas de português e literatura..
    Sempre fui uma lastima em acentuação, agora percebo que tenho outras deficiências.
    Mas não vou ficar triste, porque tenho uma amiga com uma didática maravilhosa e que aprendo oque deveria ter aprendido lá trás.
    Obrigada por dividir seu conhecimento.
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
  13. Adorei conhecer o Hugo Pontes e seus trabalhos!
    Não conhecia a poesia visual!
    Achei super legal!
    bjus

    ResponderExcluir
  14. Vim rapidinho seguir seu blog, antes q eu esquecesse... adoro Minas e suas mineirices! Vou voltar com mais calma pra apreciar o seu espaço!

    Beijokinhas,

    Luiza Mallmann
    decorarsustentavel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Não sei se já coloquei aqui no seu blog que não gosto muito de poemas, mas esses visuais adoro. Remete ao poema inteligente que com uma simples palavra e imagem já nos diz tudo. Esse dos nós está muito bom! Amei. Adoro conhecer mais e mais da nossa lingua e como ela se comporta na literatura.
    beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  16. Uau Ju !!
    Eu não sou chegada em poemas, sei lá porque, rsrs
    Mas adorei esse negócio de poema visual e nunca ia imaginar que isso era poema ...

    Por isso gosto de vir aqui, além de boa leitura ainda aprendo muito !!!

    Bjus 1000 minha querida (Tô intima hoje né rsrsr)

    ResponderExcluir
  17. Oi, Ju!

    Sim, eu também fico impressionada com tua escrita. sempre linda e perfeita. Obrigada pelas explicações sobre o poema visual. E de fato, no poema a "A barca Bela", li somente o que estava escrito em negrito.
    O poema de Hugo Pontes é impressionante: os nós entre nós!

    Beijo grande
    Tenha um final de semana muito feliz

    ResponderExcluir
  18. Jussara, assisti ao vídeo do Programa Ponto e Vírgula e faço minhas as palavras de Irene Coimbra, sua sensibilidade ao escrever é tocante. Recentemente em uma fomação para a Olimpíada de Língua Portuguesa, a formadora falou da 'economia das palavras no poema', que por serem poucas devem ser muito bem escolhidas e não apenas nos adjetivos, mas em verbos, pronomes... Seus poemas são para mim a concretização dessa teoria, me inspiram muito. Parabéns.

    ResponderExcluir
  19. Fiquei tão feliz com os comentários! Descobri un punhado de gente que se interessa e se interessou pelos poemas visuais! Cheguei a me emocionar com o comentário da Ana Belli! Que bom que gostaram! Tão bom compartilhar!
    Silmara... obrigada... me senti super honrada!
    Bjo&carinho a todas as amigas!
    Jussara

    ResponderExcluir
  20. Aprender é algo agradável!
    Fica ainda melhor quando se aprende de forma tão natural e eficiente.

    ResponderExcluir
  21. E eu que pensava que a poesia concreta estava extinta, mas ela sobrevive nessa poesia visual. Muito bom o Hugo pontes. Abraços, Jussara.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!