Um caso verídico

Um caso verídico

Se é mesmo verdade, não sei. Onde aconteceu? Nem imagino. Creio, entretanto, que não é impossível que o caso a seguir tenha de fato ocorrido em algum canto deste vasto mundo. A historieta caiu na rede e eu a recebi com o riso armado no canto dos lábios e os olhos brilhando – o jeito mineiro de se preparar para apreciar um “causo” recheado de peripécias.

Mantive a estrutura na narrativa como a recebi, embora a tenha adaptado ao meu modo de contar histórias. Feito isso, vim depressa lhe contar, que “causo” quando é bom é para ser dividido e saboreado. Fique, portanto, a seu gosto, atento ao que vou expor, que o caso é tão cheio de rodeios que se não atentar para minúcias pode-se bem não entender.

Trata-se de uma carta escrita por um jovem que pretendia ser dispensado do serviço militar. Se ele conseguiu? Pois sim, segundo consta; afinal, lei é lei, por mais louca que seja a vida:
Prezado Oficial Militar,

 

Por intermédio desta venho pedir a minha dispensa do serviço militar. A razão para isto é bastante complexa e passarei a explica-la em detalhes: Meu pai e eu morávamos juntos e possuíamos um rádio e uma TV. Meu pai era viúvo e eu solteiro. No andar debaixo moravam uma viúva e sua filha, ambas muito bonitas, sem rádio e sem TV. Pois foram justamente o rádio e a TV que tínhamos que aproximaram nossas famílias. Eu me apaixonei pela viúva e me casei com ela. Meu pai se apaixonou pela filha e também acabou por se casar.  
A confusão estava armada: A filha da minha esposa, por ter se casado com meu pai, virou minha madrasta. Ao mesmo tempo, como me casei com a mãe, a filha dela é minha enteada. Meu pai se tornou o genro da minha esposa que, por sua vez, é sua sogra.
O filho a que minha esposa deu à luz recentemente, é irmão da minha madrasta que também é sua avó. A jovem esposa do meu pai é minha madrasta e o filho que eles tiveram é meu irmão.  Meu filho, então, é tio do meu neto, porque o meu filho é irmão de minha enteada. Eu, como marido de sua avó, sou seu avô; sou, portanto, avô do meu irmão. Mas como o avô do meu irmão também é o meu avô, conclui-se que eu sou o avô
de mim mesmo!
Tendo em vista o exposto, Senhor Oficial, peço-lhe dispensa do serviço militar baseado no fato de que a lei não permite que
avô, pai e filho sirvam ao mesmo tempo.
Se o Senhor Oficial tiver qualquer dúvida releia esta carta várias vezes (ou esboce um gráfico) a fim de constatar que o meu argumento é realmente verdadeiro e correto.
Assinado: Avô, pai e filho.
Pode?  (risos)
Abraço!
Comente, comente, comente… vou amar!


21 thoughts on “Um caso verídico”

  • Olá, Jussara! Espero que a sua Páscoa tenha sido repleta de amor e chocolates…
    Esse causo já era contado por minha mãe,rsrs…Acho que nasceu no tempo em que era comum o casamento entre os familiares, pois eu mesma tive um tio, que virou avô ao casar com minha avó viúva ( sua cunhada) e depois virou primo ao casar com uma sobrinha dele mesmo,rsrs…Os filhos desse casamento eram primos, irmãos e primos de 2º grau do meu pai,rsrs…
    Bjs,Ana

  • VIRGEM SANTA!!! KKK
    QUE PATAQUADA A VIDA ARMOU PRA ESSE POBRE COITADO, HEIN?
    QUE CAUSO MAIS MALUCO, UAI!!
    MAS ATÉ QUE FOI UM BOM MODO SE TENTAR SE SAFAR DAS OBRIGAÇÕES PATRIÓTICAS. AGORA, SE DEU CERTO OU NÃO, ISSO DEVE SER UM OUTRO "CAUSO"…
    ABRAÇÃO PROCÊ E INTÉ MAIS VÊ!!

  • Menina, que bagunça….
    Não consegui raciocinar não….
    Mas se ele conseguiu, tá feito!

    Jussara, obrigada, querida, por estar sempre no meu blog….
    VC sempre me alegra por lá, me levando notícias de Minas que tanto adoro!

    Beijossss

  • Ju, querida!

    Espantoso! Mas pode ser possível sim.

    Amiga, Flor! Obrigada pelo carinho lá nos castelo. Deixo um pouquinho por aqui também… espalhadinho!

    Beijo no coração

  • Mamamia, eu ate me perdi, que era madrastra, q agora é tio q virou irmao..ahhh nao duvido que isto exista ha muita mistura e muitas pessoas nao se entende mais, que é uma pena .
    Obrigado por sua visita.
    bjus
    Daniela

  • Oi, Ju,

    Chorei de rir com este relato! rsrs. Fui lendo devagarinho, para fazer as correlações corretas, e vi que o missivista está certo! rsrs.

    Beijoca e bom dia, querida!

  • oi Ju, que confusão, teria sido mais fácil ele casar com a mais nova e deixar a viúva pro seu pai, acho que armou tudo isso pa fugir do serviço militar, hehhe
    Nossa, tinha pavor que meu filho servisse, mesmo que já tivesse começado a faculdade eu não sosseguei enqto ele não ganhou despensa.

    bjus, bom dia querida

  • Ju querida, como se foi de páscoa? Que história é essa, risos! Fique espantada, na primeira impressão, mas acredito que é possível, antigamente era comum, hoje em dia não!
    Cheio de prosa esse rapaz, será que a conversa deu certo?

    Beijo enorme.
    Uma linda quinta-feria!
    Lorena Viana

  • Jesuisssssss,Maria josé,que causo mais enrolado,mais não sobrou pra mim ta bom,rsrsr!!
    Obrigada pela visita e comentario la´no bloguinho,qto ao nome Tilda,creio que seja pelo significado,Matilda ,diminutivo Tilda=proteção,e os dois pontos ,olhos ,ela tudo vê ,porem não tem boca ,só nos observa e passa proteção por isso as asas,eu achoooo,pois ela ja vem com esse nome Tone Finnanger,a designer que é norueguesamja deve ter explicado em seus livros ,mais como não entendo o idioma ,só me resta imaginar!!!Abraços
    E seja sempre bem vinda!!

  • Posso dizer ??
    Sou loira, desenhei e ainda assim boiei, srrs
    Se ele não foi dispensado com essa história, nada o dispensaria, rsrsrs
    Mesmo boiando eu ri !!
    Sabe cumé né ?
    Loira ri atrasada e sem entender, srsrs

    Bjus 1000 queridona

  • Meus queridos (o Sidnei está na lista, meninas…rs),
    eu me diverti demais com os comentários, tanto com os que disseram que conhecem histórias parecidas, quanto com os que acharam uma confusão a vida do rapaz (embora tenham entendido a bagunça que ele aprontou) e os que não entenderam nada… acho que quem não entendeu nada foi só a Pepa… só você mesmo, Pepa!rsrs Obrigada a cada um que comentou. Adorei! De vez em quando precisamos de uns textos menos sérios para podermos rir um pouco, não acham?
    Beijo&Carinho da Jussara

  • Olá Jussara, tudo bem? Adorei seu comentário e vim retribuir sua visita, e não perdi tempo de ler as suas maravilhas, e lendo a história do pai, avô e filho, eu me diverti e cai no riso, mas falando sério, eu acredito que isso seja verídico em algum lugar desse mundão, acredito que isso pode ter acontecido ou que um dia poça acontecer, afinal o mundo está cada dia mais doido mesmo, e essa história tem que prestar a atensao para entender, mas valeu amei ter lido, valeuuuuu….

    BJS!!!!

  • Oi, Anabelli!
    Eu tb me diverti bastante com a história… rs… e tb acho que é possível que seja mesmo verdadeiro o caso… vai se saber?! A vida é tão cheia de loucuras, de altos e baixos, de esquisitices e belezas!
    Obrigada pela visita, é muito bom tê-la aqui!
    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *