Bonecas de ontem, de hoje

domingo, abril 29, 2012 Jussara Neves Rezende 29 Comments

Minha bisavó materna, chamada Josefina, nasceu no final do século 19, época ainda do Império, do fim da escravidão no Brasil. Aqui por essas bandas tropeiros e boiadeiros faziam parada, certamente os responsáveis por espalhar a notícia de que as terras eram boas para o plantio, o que fez com que alguns fazendeiros se organizassem pelas montanhas e com o correr do tempo um povoado se formasse. VovóBisa (eu a chamava assim) nasceu nessa época e suas lembranças de um tempo perdido, quando por aqui não havia lojas, supermercados, escolas ou bancos, encantavam-me a ponto de eu preferir sua companhia a brincar com quem quer que fosse. Ela, por sua vez, falava-me das brincadeiras possíveis nesse tempo sem brinquedos, das bonecas inventadas com espigas de milho e “trapos”. Sua filha, por outro lado (minha avó), passou a meninice nos anos 20, educada em colégio interno; o pai, médico, a presenteava com joias e bonecas de porcelana.
Minha mãe teve bonecas de plástico e de pano, já industrializadas, mas suas memórias mais queridas desses brinquedos se ligam às bonequinhas de pano feitas à mão por uma babá chamada Alvarina.
Quando meus avós saíam à noite para algum compromisso social, a babá era chamada para ficar com as meninas: minha mãe e as irmãs. Para distraí-las, Alvarina fazia bonecas com pernas e braços finiiinhos, cheios provavelmente, de retalhos; roupinhas, cabelos de lã, olhos, boca e nariz bordados.
“Aonde foram parar essas bonecas?”, perguntei à minha mãe mais de uma vez. “Aonde foram parar?”, minha mãe se indaga ainda hoje, inconformada por tê-las perdido submersas na poeira dos dias.
Embora eu tenha tido mais bonecas do que o necessário para ser feliz – tenho-as, ainda, guardadas num baú – faltavam-me, por causa das histórias que ouvia, essas bonecas feitas uma a uma, detalhe por detalhe com o carinho de quem faz um agrado. Nunca encontrei quem as fizesse e acabei comprando para a minha filha as bonecas mais próximas daquelas que gostaria de ter tido.
Encantou-me descobrir as Tildas, mas encontrar as Pepas, sem asas, encantou-me mais. Encomendei uma à Pepa e aguardei ansiosa. A caixa chegou pelo correio no tamanho que eu imaginava... abri,  afobada, junto de minha mãe, ansiosa por tocar a boneca que sempre quis ter. Enquanto minha Pepa saía da embalagem, meu riso amarrava-se de ponta a ponta; minha mãe, por seu lado, chorou emocionada por resgatar inesperadamente o passado e as perdidas Alvarinas.




Minha Pepa chegou de saia azul vaporosa, a segurar o meu livro de poemas, o Minas de mim. Nos cabelos esvoaçantes alguns passarinhos indicam, segundo a artesã que lhes deu vida, a leveza e a delicadeza do pensamento dos poetas. Minha mãe sugeriu, por sua vez, que os passarinhos se assentam nos cabelos da boneca leitora porque é longo o tempo passado na leitura; longo o bastante para que eles pensem em fazer ninhos...









  
Batizei de Sarita a minha Pepa por causa do livro, dos passarinhos poéticos, do lenço no pescoço (que amo!)... Sarita, diminutivo do meu nome, por ter sido feita com exclusividade para mim, detalhes estudados pela Pepa para fazê-la parecida comigo, para me fazer feliz. Batismo realizado, entretanto, acabo chamando-a Pepa, tal o carinho dessa querida, e da Vi, sua irmã, para comigo.
Acompanhando a boneca vieram uma doce cartinha e um quadrinho mimoso com versos bordados, cheios de melodia, e um passarinho gorducho, que amei receber.


Na cartinha a Pepa escreveu: “Fiz esse vestido bem rodado, porque quando leio seu blog me delicio com as palavras tão bem escritas e a imagino assim: romântica, que fica lendo um livro à sombra de uma árvore (rsrsrs, sou meio doida?)”.
Não, Pepa, você não é nada doida. Embora eu não fique literalmente sob uma árvore (se bem que elas não me faltem), quando me recolho para ler é como essa personagem romântica que você imagina que me sinto.
Obrigada por perceber isso e por todo o carinho colocado, por você e pela Vi, na boneca que hoje (parodiando Alberto Caeiro) “vive na minha aldeia comigo... mora comigo na minha casa, no meio de “Mim-nas”.

É madrugada e minha Pepa está sentada sobre um livro, num pequeno hall, em frente ao meu quarto


As fotos não ficaram boas; usei, então, esta da Pepa para que você veja minha boneca em toda a sua belezura (mistura de beleza e doçura)

Comente, comente, comente... vou amar!



Beijo&Carinho,


Jussara



29 comentários:

  1. BOM DIA, COLEGA!! AI, QUE HISTORIETA MAIS FOFA!! SE SÃO BONECAS, SOU MEIO SUSPEITA, MAS TUDO RELACIONADO À ELAS É FASCINANTE E, SE TEM O TOQUE DE JUSSARA NEVES, O TREM FICA MIÓ AINDA, UAI!! KKK
    UM LINDO FINAL DE SEMANA PRA VOCÊ, CARA CONTERRÂNEA.
    AH... DEIXE-ME FAZER-TE UM CONVITE: CRIEI UM BLOG PARA OS MEUS GATOS, PARA NARRAR SUAS PERIPÉCIAS, ESTRIPULIAS. TAMBÉM ENGAJAREI AS GALINHAS, AS CODORNAS, ENFIM, NOSSOS PETS AQUI DE CASA. DIVIRTA-SE E SIGA ESSE BLOGUINHO NOVO. DONA GAM TAMBÉM VAI TER HISTÓRIAS PRA CONTAR. SERÁ UM PRAZER TÊ-LA NESSE CANTINHO FERA!!! KKK
    O BLOG É O http://gam-petecats.blogspot.com
    APAREÇA!!
    ABRAÇÃO PROCÊ E INTÉ MAIS VÊ!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ju,

    Quando criança ganhei uma vez umas bonequinhas de pano. Elas eram meio toscas e pareciam ter sido feitas por outra criança, mas foi isso mesmo que me encantou e me levou a tentar fazer uma também! rsrs. A sua Tilda/Sarita/Pepa é encantadora e ainda resgatou muitas memórias encobertas pelo tempo, não foi? rsrs.

    Um beijo, bom domingo e bom feriado!

    ResponderExcluir
  3. A ressurreição deu sorriso nasceu com o dia
    Ah este inverno que abraça a primavera
    Este céu que arroxa meu peito
    Estas negras pedras plantadas na terra

    O curso do meu errante espirito
    Levou-me ao infinito e ao incomensurável
    Este orvalho das pequenas coisas
    Recorta meu corpo a golpe de cisel

    Ocultei meus sonhos numa porta da eternidade
    Porque o desespero é voo baixo e sinuoso
    Vi ontem dois amantes jurarem uma partilha de vida
    Vi olhos que irradiam luz em gesto assombroso

    Um imenso abraço

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Jussara,
    tambem ganhei muita boneca de pano,de espiga de milho,sou do interior,e minha mãe e minhas tias faziam essas bonecas,eram feitas de qualquer restinho de tecido ,cheias de personaliade,e geralmente vinham com sua historia pronta!!
    Sua Pepa ficou linda,comesse vestido rodado ,e os passarinhos nos cabelos deram um charme a mais,tbem adoro as Pepinhas do Tacho,são duas meninas que ja moram no meu coração!!
    Quero aproveitar agradecer sua participação no meu sorteio,e te dizer que voce com toda sua sensibilidade ,é sempre bem vinda e que suas visitas e comentarios me deixam muito feliz!!
    Um abraço^^

    ResponderExcluir
  5. Linda a sua Sarita e linda a história!!!
    bjs
    Cimara

    ResponderExcluir
  6. Isabel Cristina Viana Ramalho29 de abril de 2012 14:02

    Oi Jussara, que post lindo...pura poesia! Parabéns por descrever uma parte de sua história de forma tão poética...amei! Também tenho saudades de minhas bonequinhas de pano. Aqui no RN chamamos de bruxinhas ou bonecas de pano mesmo. Dias atrás, encontrei algumas na feira em minha cidade e como estava com minha filha, foi puro encanto por elas...A senhora, que estava vendendo, presenteou minha filha com uma....ela ficou radiante e trouxe para casa como de fosse algo precioso. Está guardadinha junto às outras e ela está sempre brincando com ela. Ela colocou o nome da boneca Taynara, homenagem a uma coleguinha da escola que ela gosta muito e já não estuda mais com ela.
    Lindo post , Jussara! Gosto muito de vir aqui degustar suas palavras...

    Beijos...
    Feliz semana! :D

    http://baudaarteira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá Jussara! Muito obrigada pelo seu comentário no meu blog! :)
    Pois é, ja cheguei aqui e ainda penso se aguentarei um ano! rs..espero que sim!
    Sabe, sempre leio seu blog, mas minha mãe, que é formada em letras, AMA seu blog! rsrsrs

    Muito sucesso!

    Beijo grande!


    Gabi

    ResponderExcluir
  8. Que linda essa Pepinha!
    Amei!
    Encantadora com o seu livro e passarinhos no cabelo!
    beijiinhos pra você!

    ResponderExcluir
  9. Olá,Jussara!
    A delicadeza da pose da Sarita Pepa, com os pezinhos arrumados para fora da saia, em cima do livro, comprovam o amor imediato por ela!
    A sua história com as bonecas é uma linda viagem através do tempo...Lembrei da minha Maristela de porcelana, morena e de olhos verdes...
    Emocionante, imaginar a cena da abertura do pacote...
    Essas doces meninas do Tacho adoçam a nossa vida!
    Bjnhos,Ana

    ResponderExcluir
  10. Oi !!!

    Linda sua Pepa! Eu tenho duas foférrimas aqui que ganhei no sorteio do Tacho e ainda por cima sou tão sortuda que Pepinha me mandou um dia três bonecas ultra mega fofas pra doar num projeto que temos aqui em Goiás no Dia das Crianças. Tudo que essas mocinhas fazem tem cara de aconchego, eu adoro!

    Beijos.

    Clau

    ResponderExcluir
  11. Oi Ju, tudo bem? Que saudades!!! Estava com saudades de tê-la no meu blog! Amei a história e o seu fascínio com a boneca foi tanto que sonhei encomendar uma para mim!!! Não deixa essa depressãozinha te pegar, não Ju! Dá uma sacudida e vamos que vamos!
    Aproveito para lhe convidar a participar da 1ª VITRINE DA ARTE D'CASA com cupcakes - doces e artes (como um mural). Ficarei muito feliz com sua participação! Também quero muito que você participe do 1° Sorteio que estou fazendo, viu? Te espero lá!
    Beijos e ótima semana, querida!
    Pri

    ResponderExcluir
  12. Adorei suas palavras, e menina babei na boneca, tenho os livros da Tilda e ainda nao tive coragem pra fazer.
    bjus

    ResponderExcluir
  13. Oi Jussara, é a Vi, todas vezes que venho aqui entro em uma embarcação e navego nas suas palavras.
    Mar calmo, brisa suave, só ouvindo o som da alma.
    Tudo que você escreveu é lindo, minha mãe sempre falava da infância dela, no interior, onde só existiam espigas de milho mesmo, mas que nada disso eram empecilhos para eles serem felizes.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
  14. Jussara minha amiga querida! Estou imensamente ausente dos meus cantinhos, dos meus blogs querido, mas por motivo maior, estou com um turbilhão de acontecimentos ao meu redor, sonhos se concretizando. O mundo lá fora me chama, exige, me testa, então meu tempo foi reduzido aqui na blogosfera, mas tenho certeza que foi por um bom motivo. Quando tudo se realizar, venho contar boas novas.
    Ju queria te agradecer, já estava me sentindo mal, por não ter vindo aqui agradecer os lindos videos que me enviastes. Eu, como pessoa exageradamente sentimental, cheguei a chorar com cada imagem e palavra que passava, reenvie pro meu amado esposo e os videos nos conformaram que tudo tem seu momentos certo e que nosso lar é reflexo de nossa personalidade e estilo! Guardo a sete chaves esse vídeo, foi um lindo presente.
    Muito obrigada!
    Hoje lendo cada palavrinha sua, me recordava das histórias que minha mãe me contava. Na infância dela e também na da gente, minha e do meu irmão, sempre íamos a casa da serra do meu tio, ou a casa da fazenda do meu amado vô. O que mais me marcava era as bonequinhas que nós mesmo construíamos com ajuda das artesãs locais, ou com ajuda dos familiares, passávamos horas brincando com essas bonecas, simples mas com um significado enorme, como você citou acima, nossas bonecas também era feitas de espiga de milho e a certeza que tenho é que não trocava pelas de porcelanas, pois essas eram resistente, passava por muitas dificuldade e sempre estava lá firmes e forme, não gostaria que as minhas fossem de porcelana ou cristal, que não aguentava os obstáculos da vida, que não podia ir conosco para debaixo do pomar, pois poderia sujar, se desgastar! Já as minhas bonecas de espigo de milho, (suspiros), essas eram companheiras, iam para todos os cantos comigo, subia jabuticabeiras e até caiam, mas não quebrava fácil, podia sempre inventar e reinventar, que elas ficavam lindas do mesmo jeito!
    Quando leio seus texto me identifico e relembro a minha infância e sinto a magia das suas palavras a me emocionar e invadir cada pedacinho da alma.

    Beijos cheio de carinho.
    Um maravilho mês, cheio de bênçãos!!!
    Lorena Viana

    ResponderExcluir
  15. Ju,
    Que lindo o post,me emocionei e que fofura essa boneca, um doce,com o livro,aneimmm.
    Besitos

    ResponderExcluir
  16. Oi, Jussara! Que linda esta história. E que pepa linda, muito charmosa, delicada, e do jeitinho que você fala dela, está até parecendo com você. Uma ótima semana, beijo, Eunice Maria.

    http://efacilserfelizartesanais.blogspot.com/
    efacilserfeliz.artesanais@gmail.com

    ResponderExcluir
  17. Olá Ju, tudo bem? Passei paa lhe dizer que tem um selinho em meu blog para você! Beijão!
    Pri

    ResponderExcluir
  18. Jussara querida!
    Sua Sarita Pepa é linda!!!
    As meninas tem um coração tão grande e um talento que só poderiam sair coisas maravilhosas das suas mãos.
    Minha mãe sempre me conta que também brincava com bonecas de pano. Muito diferente da minha época onde bonecas de plástico já imperavam...
    Espero que vc esteja melhor e que aquela depressãozinha tenha ido embora.
    Conte comigo sempre!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  19. Jussara, Ju - Sara, Ju - Sarita,

    Diante desse torvelinho onomástico; de tudo, encantei-me, antes, com teu lirismo e tua linda meninice, que me botaram comovido como um anjo.

    Agora, o que te dizer senão solicitar tua permissão para mais um intertexto:


    ? Já que a noite
    É uma criança,

    Posso brincar
    Madrugada afora

    Pelos jardins
    Da tua infância?



    À você um belo mês de maio!

    ResponderExcluir
  20. Oi Jussara, desculpe pela minha ausência, ando meio afastada dos blogs, aliás até do meu próprio, rs. Mas adorei saber das bonecas de pano de sua família. Sua escrita nos leva a visualização do que se está lendo, isso é com certeza um dom. E a sua Sarita é muito linda, as meninas do Tacho são sensíveis e tem mãos de fada, só podia ter saído uma belezur dessas. E eu adorei a percepção da sua mãe em relação aos passarinhos no cabelo, bjs.

    ResponderExcluir
  21. Ai , ai , ai, que maravilha esse amor a primeira vista.
    Que arte criar cada boneca unica e especial, com certeza vc inspirou lindamente a Pepa!!!!
    Ela parece ser grandinha, e junto com ela a lembrança de tempos muito queridos!!!!!!!!!!

    bjo amiga

    ResponderExcluir
  22. Olá Ju, tudo bem? Vim lhe pedir autorização para usar algumas de suas imagens em meu blog com fonte e links, é claro. Preparei um post com inspirações para transformações em minha casa, que ainda não foi publicado. Aguardo seu contato para publicá-lo. Beijos, Pri!

    ResponderExcluir
  23. Jussara, ah se eu tivesse esse talento para escrever. Juro que invejo (no bom sentido),viajo nos seus textos.
    bj

    ResponderExcluir
  24. Se eu disser que amei, é pouco, porque eu adorei !! rsrs
    Fiquei toda fofa, com tanto elogio, (E adorei o que sua filha disse sobre não mudar as Pepas, rsrsr)

    Fazer essa boneca foi mesmo muito agradável... enquanto a fazia ficava imaginando como seria sua recepção, sempre fico tensa para saber se vai agradar... e fico muito feliz por saber que agradou, rsrsr

    Obrigada pelo carinho da postagem... de verdade esse é o melhor salário que alguém pode receber ...

    Obrigada mesmo.

    Bjus 1000 queridona

    ResponderExcluir
  25. OLÁ, CARA COLEGA JUSSARA. VIM AQUI NO TEU BLOG HOJE, PRA TE DIZER TRÊS COISAS: PRIMEIRA-GOSTARIA QUE VOCÊ DESSE UMA PASSADINHA LÁ NO MEU BLOG E VOTASSE EM MEUS GATOS NO SITE DO "PÊLOS E PATAS". ESTÁ TUDO EXPLICADINHO NO POST. SEU VOTO SERÁ MUITO IMPORTANTE. CONTO CONTIGO, COLEGA!!! SEGUNDA- EU CRIEI UM BLOG PROS MEUS GATOS E PETS. LÁ EU NARRO EM PRIMEIRA PESSOA, INCORPORANDO CADA BICHINHO MEU. TE CONVIDO A CONHECER E LER AS PERIPÉCIAS DE MEUS BICHINHOS DE ESTIMAÇÃO. HOJE, POSTEI SOBRE A ELVIRINHA: A GALINHA GAMBÁ!! SEI QUE CÊ VAI ADORAR AS HISTORIETAS LÁ POSTADAS!! KKK
    O ENDEREÇO DO BLOG É http://gam-petecats.blogspot.com
    FAÇA UMA VISITA, DE REPENTE TORNE-SE SEGUIDORA. TÁ ANIMAL, LITERALMENTE!! KKK
    TERCEIRA E ÚLTIMA- UM EXCELENTE FINAL DE SEMANA PRA VOCÊ E FAMÍLIA.
    TUDO DE BOM PRA VOCÊ, COLEGA CONTERRÂNEA E UM ABRAÇO BEM BONITO, DA MAUAU E DO GATITO!!!

    ResponderExcluir
  26. Amiga querida!

    Sua boneca é linda demais.
    Imagino sua felicidade... A saia rodada... muito chque. Parabéns para a Pepa pelo trabalho maravilhoso.
    Amo suas hitórias e a maneira perfeita com as conta.

    Beijo, querida escritora... Conte mais!

    Beijo

    ResponderExcluir
  27. Jussara, adorei suas bonecas! E também adorei conhecer seu site!! Obrigada pelo seu recado lá no meu!! bjs, Priscilla - Anfitriã

    ResponderExcluir
  28. Querida fiquei muito feliz por saber de mais uma que ama bonecas, essa história que escreveu, uma vez falei sobre ela, que as meninas pobres só tinha as chamadas bruxas, e as meninas da corte tinham bonecas de porcelana, muito lindo você contando me encantei, e agradeço ter conhecido você e saber que tem tanto carinho por bonecas que coisa gratificante e linda essa que encomendou com Pepa, que faz trabalhos lindos, adorei voltar aqui e sempre que possa virei beijos com carinho Leila

    ResponderExcluir
  29. Genteemmm... preciso fazer outra foto da minha Pepa Sarita: Ela continua sentada no hall, em cima do livro "Crime e Castigo" do Dostoievisk (chique até mandar parar!)que está numa mesinha rústica de madeira de café - artesanato sobre o qual falei no post "Pausa para o café" (lembra? não leu? espie lá: http://minasdemim.blogspot.com.br/2012/01/pausa-para-o-cafe.html).
    Mas ela não está mais encostada na parede... está sentada, ereta, super elegante, um charme só... ahhh... ela é mesmo linda não é?
    Obrigada pela companhia!
    Bjo&Carinho da
    Jussara

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!