Sobre a chuva

quinta-feira, fevereiro 09, 2012 Jussara Neves Rezende 26 Comments


Eu amo chuva! Amo a chuva amena, tranquila, que refresca a terra e o ar e pela qual se espera com ansiedade. Chuva serôdia, como a Bíblia a chama, como meu avô Edison gostava de repetir. Gosto de seu tamborilar na vidraça e de sua “cantilena” nos “beirados”, como a traduziu Florbela Espanca, a dizer “coisas que ninguém entende”.

Depois de um dia de calor opressivo é bom senti-la chegar de manso, a serra de repente tornada branca; um instante de cheiro de pó, depois o resgate da frescura que devia haver no Éden quando Deus ali aparecia, na “viração do dia”, a fim de conversar com Adão.

Compreendo que existem situações que justificam certa apreensão com a chegada da chuva: ocupação de terrenos inapropriados, cidades inteiramente pavimentadas e superpovoadas, sem muitas possibilidades para o escoamento da água, bueiros que acumulam lixo jogado nas ruas em consequência da má educação do povo, da omissão dos governos. Compreendo. Entendo, ainda, que não a queiram bem nos países do hemisfério norte onde a relacionam ao inverno e ao frio intenso. Quando digo, porém, que a amo, não penso em frio, nem em tempestades, embora me solidarize com quem vive essas situações sombrias. Como temos aqui invernos quase sempre secos, meu amor se dirige à chuva que se prepara nos períodos de grande calor e que se derrama como uma bênção. Não gosto de tempestades. No meu sótão o vento assovia e nem é preciso abrir janelas para perceber que o céu se ilumina cortado de clarões, toda a casa a estremecer ao som dos trovões.

Eu sempre espero com ansiedade a chuva miúda, que deixa o dia fresco e cinzento, que permite o recolhimento, que não exige alegria como parece fazer o sol.

Em dias seguidos de chuva parece ser permitida a melancolia, a leitura sossegada de um livro, o silêncio... só a cantiga dela lá fora.

Em dias seguidos de sol, eu espero a chuva.









Imagens: Google

Para aqueles que não amam com tanto fervor a chuva, ou que realmente não gostam dela, deixo com carinho o poema abaixo, um dos primeiros que decorei, ainda menina:







A CHUVA

- Mamãe! Que chuvinha enjoada!
Me deixou toda molhada,
Sapato, roupa e chapéu
Não servem mesmo pra nada...
Esta água que cai do céu!


- Não digas assim, minha filha!
A chuva é uma maravilha    
Pois ela, molhando o chão,
Faz crescer a couve, a ervilha
O arroz, o milho e o feijão.


A chuva molhando a terra
Cobre as flores, a serra,
Amadurece o pomar,
E a semente que se enterra
A chuva é que faz brotar.


Por isso é que a chuva é boa
E a terra seca a abençoa...
- Sim, mamãe, compreendendo bem,
Mas por que é que a chuva, à toa,
Cai nas calçadas também?
                        
(Manoel Tigre)


 
Não é fofo?

Comentem, comentem, comentem... vou amar!


Não esqueçam de dar uma olhada nas regras para participar do Sorteio de dois livros e um kit para bordar da Clickfios: http://minasdemim.blogspot.com/2012/01/sorteio.html





26 comentários:

  1. Jussara
    Amo a chuva e a odeio em algumas ocasiões. Ela depois de um dia intenso de trabalho, à noitinha, vem de bom agrado!! Que poeminha fofo!
    Um bom final de semana, bjosss

    Sheyla.

    ResponderExcluir
  2. Chuva na hora de sair para o trabalho não é legal, não é mesmo, Sheyla? mas na hora de chegar em casa... humm... delícia!

    ResponderExcluir
  3. Esse post veio no momento certo! Com esse calor que curitibano não suporta, sua chuva de palavras trouxe o frescor à lembrança...
    Obrigada!
    Bjnhos,Ana

    ResponderExcluir
  4. Oi Jussara!!! Amei o seu blog.. Vou te visitar sempre!
    Olha so, vi seu comentario no Blog bacanérrimo Craft to inspire, sobre Paris, te digo que o receio com os franceses não é tão necessario.. Moro em Nice sul da França e mudei completamente a minha visão dos franceses.. Adoro a França! O Fime Meia noite em Paris é um arraso, ne?! Gostei tanto desse filme que fiz ate um post sobre ele no meu blog :,)
    Fica bem!
    E otimo fim de semana
    Joanna Gandra

    http://mapetitelima01.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Amiga amei o post, eu amo chuva, adoro esse tempinho fresco, tranquilo para dormir com aquela chuvinha no telhado...rsrsrs

    Tenha uma lindo Fim de semana!!! Bjsss

    Val

    ResponderExcluir
  6. Ana,
    que coisa boa é ter você como leitora! Desejo que o tempo refresque por aí... ninguém merece esse calorão!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Joanna,
    nossa... fico tão feliz que tenha gostado do blog! Sim, venha me visitar sempre, será um prazer recebê-la.
    Amei o filme do Woody Allen... vou correndo ao seu blog procurar seu post... rs
    Vc me tranquilizou sobre os franceses. Eu estive no norte da Espanha, quase na divisa com a França, mas deixei para visitá-la num outro momento. Bom que é agora já tenho o seu parecer sobre o assunto, que é super importante para mim por dois motivos: por vc ser brasileira e por morar aí.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Obrigada, Val! Que bom tê-la aqui!
    Esse tempinho fresco, de chuva no telhado é uma das boas coisas da vida!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto dessa chuvinha pequetita também, daquelas grandona tenho um medão rsrrs !!!

    Mas e o cheiro da chuva depois de um dia de calor ??
    Ah,não tem perfume melhor !!

    Bjus 1000 querida

    ResponderExcluir
  10. Pepa, concordo demaissss. É um dos melhores perfumes que existem!
    É um prazer ter você e a Vi como leitoras, querida. Venham sempre! Fico tão feliz!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Que delícia! Também adoro a chuva! gosto de vê-la ao longe chegando devagarinho!
    Beijos!
    Rô Garbuio

    ResponderExcluir
  12. Rô, eu também. Esse chegar devagarinho é como um presente que vc sabe que vai ganhar!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Olá Jussara, tudo bem? vim aki pra retribuir seu carinho, adorei sua visita e também seu blog, confesso que os dias de sol é realmente lindo, mas amo tambem aquela chuvinha calma no fim de tarde, mas as vezes pra mim a chuva atrapalha, tenho uma filha cadeirante e não sei se vc sabe pra nós é um pouco complicado, mas não tem importância, amo do mesmo jeito, ah amei o poema realmente a menina tem razão por que chover na calcada rsrsrs....
    Bem desculpas se houver escrita erradas, pois escrever pra uma doutora em literatura temos que ter cuidado no que escreve rsrsrsrs... brincadeirinha heim amiga!!!
    Beijos querida e mais uma vez obrigada pela sua visita, serás sempre bem vinda em meu cantinho.
    Fique na paz!!!
    Sheila

    ResponderExcluir
  14. Oi Jussara, é a Vi, ler seus textos é como entrar em outro universo, viajar no tempo e no espaço.
    Gosto de dormir ao som da chuva, aquela que bate no telhado suave e faz a gente adormecer.
    Gosto do cheiro de terra molhada quando as primeiras gotas da chuva caem sobre ela.
    A chuva não tem culpa, se impermeabilizamos o solo, se modificamos os leitos do rio.
    Plantamos vento, vamos ter que colher tempestades.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
  15. Muito fofo o poema, vou usá-lo com meus alunos. E tenho que admitir que estou entre os que não 'amam com tanto fervor a chuva', mas vou rever meus conceitos. Bjos

    ResponderExcluir
  16. Sheila, realmente, no seu caso e no de sua filhinha, acho que o poema fala a mais pura verdade: a chuva cai "à toa"... qto à preocupação com erros na escrita, não se preocupe... estamos só "proseando"... rs
    Volte sempre... bom tê-la aqui!Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Obrigada, Vi, seus comentários sempre me deixam muito feliz!
    Abração!

    ResponderExcluir
  18. Silmara,
    que delícia a ideia de usar o poema com os seus alunos! Depois me conta o que eles acharam, tá bem?
    Abraço!

    ResponderExcluir
  19. Eu gosto e reverencio a chuva e tempestades também, claro q muitas vezes chuvas & tragédias caminham juntas, mas assim isso é parte da Vida. Só não gosto de tomar chuva, sapato molhado, roupa molhada, não gosto. Gosto de chuva quando estou dentro de casa.
    Esse poema é simplesmente delicioso. Um achado.

    ResponderExcluir
  20. Regina, que bom que gostou do poeminha! Também o acho delicioso, todo ritmado, muito bom. Tal qual você e a menina do poema não gosto de sapatos molhados, mas o momento de amar a chuva é justamente o que você citou: dentro de casa... ela lá fora... rs
    Abraço!

    ResponderExcluir
  21. Oi Jussara, também sou daquelas que adora chuva, que gosta de ficar em casa embaixo do cobertor curtindo o barulhinho, o cheiro... e obrigada pela vistia!!! Faça mesmo a coleção de pratos, é uma terapia!!! E vai ficar linda sobre aquela toalha maravilhosa que sua mãe pintou. Grande abraço!!
    www.arquitrecos.com

    ResponderExcluir
  22. Jussara quando li esse texto, me vi falando para meus amigos e familiares o quanto adoro a chuva.
    Na minha cidade, costumamos dizer que só temos Verão. O Sol ardente. Quando chega um chuvinha que ameniza, até o sentimentos ficam mais em paz, ameniza a almam perfuma a vida.
    Ontem choveu no fim do dia, que delícia!
    Esse poema está lindo. Cheio de doçuras, em forma de palavras.

    Beijinhos.
    Lorena Viana

    ResponderExcluir
  23. Carla, ficar em casa embaixo do cobertor curtindo o barulhinho da chuva é uma das melhores coisas da vida!
    Vou mesmo fazer a coleção. Ontem já andei dando uma olhada... rs
    Coisa boa vc se lembrar da toalha que minha mãe pintou. Amei!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  24. Lorena,
    eu nunca fui ao nordeste, mas ouço dizer do calorão que faz aí. Nossa, imagino como a chuva deve ser esperada!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  25. Compartilho com você este amor pela chuva! Desde menino me encantava ver a chuvarada caindo. Corria atrás dela me encharcando com seus pingos d'água gelados ou mornos. Chuva me traz inspiração. Me interioriza imensamente. Dias atrás, estava com minha pequena dentro de casa (leia-se apartamento)e começõu a chover. Fiquei olhando pela janela a chuva e minnha filha me fez um pedido insólito: "Pai, me leva lá fora prá tomar banho de chuva?" Não pensei duas vezes, coloquei uma bermudinha e uma blusinha nela e fui contente lá no estacionamento vê-la se esbaldar na chuva. Foi uma cena linda que jamais vai me sair da memória: o 1º banho de chuva de meu pedaaçinho de céu!!

    ResponderExcluir
  26. Sidnei, verdadeira poesia essa cena que você descreveu! Com certeza s Ligia Maria também não vai se esquecer dessa experiência. O primeiro banho de chuva a gente nunca esquece!
    Abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!