Pausa para o café

Pausa para o café
Antes de começar a prosa de hoje, quero agradecer a você – sim, você mesmo – que está sempre aqui, que lê meus textos, que gosta, comenta, que volta, que lê outra vez… Muito obrigada! Um escritor só existe como tal se tem quem o leia. Se ele não tiver leitores pode ser considerado um anotador, um escrevinhador de diário, um rabiscador de palavras – nunca um escritor. Obrigada por tornarem real minha existência como escritora!
Além de agradecer, quero fazer um pedido. Quando iniciei o blog o gadget “Seguidores” estava com defeito e muita gente me escreveu dizendo: “Como faço para seguir você?; não encontrei o lugar”. A verdade é que não havia lugar… maaass… agora há! Bem ali, no alto da página, à direita. Clique em “Participar deste site” e oficialize a pausa que sempre faz aqui para um dedo de prosa, sim? Vou amar isso!
Outra coisa: pediram-me que fizesse um sorteio do livro Dora e Dorinda… prometi fazer quando o Blogger resolvesse o problema com o gadget “Seguidores”. O problema foi resolvido neste final de semana, então não tive tempo ainda de elaborar como será. Mas prometo para breve, está bem?

Vamos, então, à prosa de hoje:

Eu cresci ouvindo dizer que o Brasil produz o melhor café do mundo, que Minas produz o melhor café do Brasil e que Machado produz o melhor café de Minas. Logo… o melhor café do mundo é produzido em Machado.
Não sou nenhuma especialista em café e não posso garantir que isso seja verdade, mas que o café produzido nas montanhas de Machado tem destaque internacional… ahhh… isso tem! A cidade é conhecida internacionalmente como produtora de cafés especiais e conquistou recentemente os títulos de melhor produtora de café do Brasil e de capital mundial do café orgânico, devido a seu pioneirismo nesse tipo de cultura e as exportações que realiza para países da Europa, Estados Unidos e Japão.
Como se pode imaginar, o café é o principal produto da economia machadense, gerador de emprego e renda. Mas há quem veja nessa produção uma possibilidade diferente de rendimento. Um artesão da cidade, ligado ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais, campus de Machado, resolveu aproveitar a madeira do café para a construção de móveis rústicos – que mantém a aparência original dos galhos do cafeeiro – como bancos, cadeiras, mesas, estantes, prateleiras. Além do interesse natural que sua arte desperta, existe uma questão de reaproveitamento inserida em seu trabalho que vale a pena comentar: a poda de galhos antigos do cafeeiro, usada para renovação da lavoura, produzia antigamente um grande volume de madeira cortada que virava lenha; hoje vira arte.
Abaixo, imagens de dois itens desse trabalho que eu conquistei para a minha casa:
Em cima da mesinha, artes da minha filha. Flores de fuxico e missanga em base de isopor.
 
Beijo! Até depois!


36 thoughts on “Pausa para o café”

  • Que post mais feliiiiz!
    Por vários motivos.. porque agora você pode ter seguidores (e rapidinho terá vários!), por falar do café (que é algo que você em especial tanto gosta) e de uma parte boa da nossa região, por falar do artesanato e das minhas obras de arte!! AMO essa, em especial! Dá uma alegria toda vez que olho, rs.
    Ameiii… 🙂

  • Desde criança ouço dizer que Machado é o endereço do melhor café que existe e olha…
    CONCORDO PLENAMENTE! SEMPRE QUE VOU AÍ TRAGO KILOS DO DELICIOSO CAFÉ DO
    MERCADO DE MACHADO!!

    (Jussara, quero muito participar do sorteio para ganhar o livro. Não se esqueça de mim!!)

    Beijo e uma ótima semana para você!

  • Oi Ju! Amooo café… hehe… qto mais forte melhor, minha mãe fala que "levanta até defunto". E os móveis? Amei! Acho lindo móveis rústicos… como já disse no blog, meu sonho é morar numa chacrinha cheia deles, perto da cidade…ô coisa boa!
    Super bju flor, fica com Deus e ótimo restinho de semana!

  • Olá, Ju!!! Ao ver essas imagens lembrei-me de um trecho do poema "Metade" de Oswaldo Montenegro "Que Arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba, e que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer…Um bjo do Jota – Diamante Negro

  • Oi, Jussara…

    Não achei o espaço pra te seguir.
    Já faço isso por email, mas aquele com a fotinho das pessoas, não está aqui.
    Bem, continuo te lendo do mesmo jeito.
    Amo móveis rústicos e a flor de fuxico de sua filha é linda!
    Beijosss

  • Querida, antes de começar a ler, fiquei em uma felicidade ao ver que seu Gadget deu certo… já estou seguindo!
    Fiel leitora das suas belas e aconchegantes palavras, que me enche de sensações boas.
    Café… só em escultar seu nome, me lembra a uma xícara dessa gostosura, bem quentinha, com um gostoso bolo de fubá… e flores espalhada por toda a mesa!
    Posso dizer que na minha terrinha, um cafezinho energiza a alma e os sentimentos!
    Uma boa pedida nos lanches matinais e vespertino.
    Aquece a alma.
    Eu sei que no dia que for a Minas, não esquecerei jamais. Meu esposo que diz: não gosto de café, mas o de Minas… não tem como não resistir! Risos.
    Quando olho uma peça em fuxico meus olhos brilham de encanto, linda arte.
    Acho que já comentei o quanto sou fã.
    Fuxicando tecidos, cores, afeto e muito amor. Linda arte.
    Eu tenho por incrível que pareça um peça parecida com essa!

    Jussara deixo muitos beijinhos, cheio de paz.
    Uma linda e abençoada semana.
    Lorena Viana
    pequena-prendiz.blogspot.com

  • Clara,
    eu fiquei dois meses sem ter aquele espaço das fotos dos "Seguidores", mas agora ele voltou. Que estranho que não apareça pra vc =(
    Mas mais importante é tê-la como leitora. Obrigadaaaa…
    As flores da minha filha alegraram um hallzinho azul que eu achava triste… rs Que bom que vc gostou!
    Abraço!

  • Lorena, fiquei numa alegria com o seu comentário! Porque você se alegrou com a minha alegria pelo gadget ter dado certo, porque vc é uma leitora fiel e porque, pelos seus comentários, sei que realmente gosta do que escrevo.
    Obrigada por já estar seguindo o bloguito e pelo seu constante carinho para comigo e meus escritos.
    Grande abraço!

  • Olá, Raquel, que coisa boa tê-la aqui, como seguidora e através do seu comentário! Também adoro ler. Amo os livros pelo conteúdo que apresentam, claro, mas também como objetos que são. Só por possuí-los já sou um tanto feliz!
    Que bom que gostou dos meus escritos. Vai ser um prazer "proseramos" aqui!
    Abraço!

  • Oi Jussara, que lindo post e principalmente que bom saber que você já pode ter seguidores (muitos, com certeza… e ao menos uma do Peru!)Gostei também o tema do café… todo mundo sabe que chegar no Brasil e tomar logo, logo um cafezinho híper gostoso com gente boa, sao sinónimos 🙂 Porém, o Peru também tem um café muito especial… Confira esse link e veja que incrível como essa família cultiva os graos num lugar quasi inacessível. Beijao!

  • Ju,não sei o que passa que algumas pessoas não conseguem comentar as vezes, depois volta ao normal, nem coloco blog roll, nem gifs,por causa de vírus e ainda acontece cada coisa…afff…
    Eu amo café,como boa mineira, sei o que é "o café".E é umas das coisas que nem posso pedir para os parentes trazerem quando vem por aqui, a polícia federal para na hora.Usam o pó prá esconder drogas, então nem passa,fico só na vontade.O café aqui parece que moem junto café bem torrado e café meio cru,chamam mezcla(vai saber, mescla do quê?)e azeda.Mas quem não tem laranja doce toma suco de limão,fazer o quê…rsrs…
    Agora esse banco, que coisa mais linda,e as almofadas,um charme.Lindo o arranjo de fuxico, filha talentosa,parabéns.Besitos

  • Olá Jussara! Estou apaixonada pelo seu espaço! Li algumas postagens e confesso que fiquei encantada com seu jeito afetuoso de falar sobre tantos e tão variados assuntos. Um lugar extremamente aprazível de se estar, pois além do aconchego que aqui se tem, aprende-se muito com o vasto conhecimento que você, generosamente, deixa impregnado nos seus escritos. Vou voltar, certamente, mas deixo agora um beijo no seu coração e um agradecimento pela beleza do seu espaço.

  • Oi, Mi, quands morei em Portugal lá havia também essa tal de mescla… e eu vivia com saudade do café da minha mãe!
    Esse artesanato com madeira de café é novidade aqui, mas é muito lindo mesmo… almofadas… minha paixão; E a filha talentosa? Presente de Deus!
    Obrigada, querida! Abração!

  • Nossa, Marlete, fiquei emocionada com o seu comentário e até meio sem palavras! Obrigada pela sua leitura atenta e e sensível, capaz de perceber, nas entrelinhas, conhecimento, afeto, beleza!
    Volte, sim! Continuaremos a prosear…
    Obrigada pelo carinho. Abraço!

  • Estou "passada", apesar de amante das Minas Gerais, nunca ouvi falar da Cidade de Machado e nem de que teria esse café maravilhoso. Tomo muito pouco café, porque agora só tomo dos especiais, com procedência indicada e de culturas especiais, quando colhem os grãos uma a um e apenas os maduros e outras técnicas para alcançar o melhor café. Vou agora pesquisar sobre a cidade. Muito bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *