Sobre cerejas, maçãs e ameixas

domingo, dezembro 04, 2011 Jussara Neves Rezende 6 Comments


Por um tempo vivi em Portugal... especialmente vivi em Lisboa... cidade linda para cuja beleza nada do que li/estudei a vida toda me preparou. Claro que Alberto Caeiro disse que “o Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia" e que Florbela Espanca falou em “esmalte azul do Tejo”... Será que não prestei atenção? Será que não imaginava possível tanta beleza? O Tejo é imenso e azul! Lisboa se debruça sobre ele a encarar o mar logo adiante... Saudade! Saudade que me convoca, que me quer de novo ali. Bem sei que não é este ainda o momento, mas voltarei, e enquanto o momento não chega, repito Florbela:

"Vou andando para Lisboa... daqui a uns anos lá devo chegar, se não morrer."

Cheguei a Lisboa junto com a primavera. Barraquinhas de flores se ofereciam nas esquinas e nos centros comerciais (os nossos shoppings). Então o tempo realmente esquentou e começaram a aparecer as cestas de cerejas nas portas das quitandas. Graúdas, suculentas, brilhantes como jóias. Acostumada a pagar mais ou menos R$8,00 (oito reais) em 100 gramas de cerejas frescas por ocasião do Natal, fiquei impressionada em poder comprar 1kg delas – gigantes e lindas – por E$2,00 (dois euros)! E depois que toda a cidade já tinha se esbaldado com as frutas o preço ainda caiu.

Google Imagens


Depois chegou a época da colheita de peras e maçãs no Bombarral – região que vive do cultivo dessas frutas, além de uvas. Eu fui. Nunca quis viajar para lugar algum como turista. Sempre desejei saber como vivem as pessoas, ser momentaneamente uma delas. E fui. Estas maçãs eu mesma colhi:

E colhi muitas outras. Cheguei a fazer potes e potes de doce de maçã com mel e presenteei amigos que fiz por lá.
Essas memórias me voltaram quando me pediram que postasse a receita da torta que fiz no final de semana passada para receber meus filhos que chegavam de São Tomé das Letras. É uma receita que utiliza ameixas frescas. Qualquer supermercado está cheio delas nesta época... então me lembrei das cerejas e das maçãs...
Se forem visitar Portugal na entrada do verão.... comprem cerejas, comprem cerejas, comprem cerejas...
Mas a receita de hoje é com ameixas... e não vou enganar vocês... é muito gostosa e seu sabor combina com as nossas comidas típicas desta época do ano. Vamos a ela?


TORTA DE AMEIXAS FRESCAS

 
Google Imagens

INGREDIENTES
 
100 g de margarina
100 g de açúcar
2 ovos
Pitada de sal
Casca ralada de um limão
200 g de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de fermento em pó
Entre 8 a 10 ameixas frescas
Açúcar e canela para polvilhar
 

 MODO DE FAZER

Lave as ameixas e corte-as em fatias finas. Reserve.
Na batedeira, bata margarina e açúcar até se unificarem. Adicione os ovos, pitada de sal, casca ralada do limão e a farinha. Misture tudo muito bem com a batedeira até ficar uma massa homogênea. Coloque então o fermento e bata mais um pouquinho, apenas para incorporá-lo à massa.
Ligue o forno e, enquanto ele aquece, despeje a massa em uma forma de mais ou menos 24 cm de diâmetro, de fundo removível. Não é necessário untar a forma, pois a massa é bastante amanteigada. Por essa mesma razão pode-se ficar tranquilo(a) quanto a vazamentos (por causa do fundo removível) – não irão acontecer. A massa fica bem densa.
Pegue as fatias de ameixa reservadas e organize-as sobre a massa de forma decorativa. Salpique açúcar e canela bem misturadinhos e leve ao fogo por cerca de 40 minutos ou até que ao enfiar um palito no centro da massa ele saia seco, sinal de que a torta está pronta.



Sobre o sabor já falei... Quanto ao aroma... é de convocar a vizinhança...


Bon appétit!


6 comentários:

  1. Prima querida,
    Ainda não tinha deixado nenhum comentário por aqui, mas hoje não tinha como, que receita deliciosa! fiquei com água na boca!
    Quanto aos textos, pude me sentir em Lisboa, vou ficar ansiosa pelo próximo post.
    bjos e saudade...

    ResponderExcluir
  2. Saudade também, Fla! Qdo vão aparecer por aqui e trazer o Gui para eu abraçar muuiitoooo?
    Pois é... o bloguito tá caminhando e a resposta que tem obtido tem me deixado bem feliz.
    Alegra-me que tenha gostado das minhas memórias de Lisboa e, sim, volte sempre. Vou adorar!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Meus olhos se encheram de lágrima...
    Que saudade daquele lugar!
    Sinto até o cheirinho das barraquinhas com as cerejas caiiiiiindo, de tantas!
    Lembra daquela vez que fomos so Pingo Doce e estavam VÁÁAÁÁRIAS lá na entrada?
    Ai, saudade!
    Sobre a torta em questão.. huuuum! Que privilégio eu tenho de ser sua filha.. e viajar quase sempre... dá até vontade de voltar, "uai"... as recepções tem sido das melhores!! hehehe
    Te amo!

    ResponderExcluir
  4. Hummm, agora que vc falou, lembrei que o Pingo Doce cheirava cerejas aquele dia... SAUDADEEEEE...
    Qto à torta, já disse aqui no blog que não sou uma cozinheira, sou uma leitora. Cozinhar todo dia é muito chato, mas fazer belas receitas para esperar seus retornos é muito gostoso. Tb te amo, filhinha!

    ResponderExcluir
  5. Hum!!
    Pela foto que acompanha a receita, vejo que está se divertindo ao organizar o material para os posts, com todo capricho e carinho em cada detalhe, como é bem típico de você.
    Adoro.
    Quando eu crescer, quero fazer igual. Rs...
    Claudia

    ResponderExcluir
  6. Cláudia, eu perco um tempo precioso a me preocupar com detathes. Capricho e carinho também exigem tempo... mas não sei ser de outro jeito! O blog tem sido uma escola diária para mim. Tem sido bom ter que reservar tempo para escrever. Tem sido divertido, afinal... rs
    Abração!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!