Uma edição de autor

domingo, novembro 13, 2011 Jussara Neves Rezende 12 Comments






Edição de autor, para quem não sabe, é aquela edição meio caseira, feita em gráficas interioranas que, depois do trabalho impresso, não o divulgam nem o distribuem pelas livrarias do país. Pois é. Em 2001 publiquei dessa forma o Minas de mim, livro que reúne 50 poemas escritos ao longo de mais de 20 anos, mas selecionados e reunidos por manterem uns com os outros uma espécie de contato, por conservarem um mesmo ar, um mesmo élan.  Não datados, deixam de revelar alguma possível evolução no processo de criação da autora, garantindo, entretanto, que se apresentem sempre novos aos olhos que os percorrem. Por outro lado, é possível perceber alguma variação de estilo de um para o outro, dado o espaço de tempo de criação entre eles e as fatias de vida e experiência de sua autora.
Não só a ausência de datas garante o permanente frescor desses versos: as reflexões que os permeiam giram em torno de temas inesgotáveis – o amor, o desejo, a saudade, a dor, os sonhos, o sentido do tempo e a transitoriedade do ser – servindo-se, ao mesmo tempo, de uma certa paisagem mineira, pincelada de ladeiras e casarões.
O título da obra – Minas de mim – remete, portanto, a Minas Gerais, estado em que nasci e que amo, mas está também relacionado aos campos minados e às minas de pedras preciosas, indicando, ao mesmo tempo, os “explosivos segredos” que os poemas (re)velam e o valor do que é (re)velado.
Ecos de alguma poesia portuguesa se fazem ouvir nesses poemas, sugerindo uma poetisa que é também leitora e que em alguns momentos chega a dialogar com poemas de Camões, Antero de Quental, Fernando Pessoa – além dos brasileiros – e mineiro – Cecília Meireles e Carlos Drummond de Andrade.
Talvez tenham sido a “dicção e a mundividência profundamente feminina” desses versos, notadas por Marcelo Franz (PUC-PR), que me garantiram um espaço no valioso Dicionário crítico de escritoras brasileiras, da estudiosa Nelly Novaes Coelho (São Paulo: Escrituras, 2002). Talvez tenha sido um outro dos já citados valores acima. Seja como for, meu nome aparece também no livro Todos os nomes do mundo, de Nelson Oliver (Rio de Janeiro: Ediouro, 2005), no verbete “Jussara”, como exemplo de “personalidade” (ligada à poesia) que tem esse nome.
A propósito do título do livro escreveu a Profa. Dra. Benilde Caniato, da USP, ao prefaciá-lo:

O título, homônimo de um dos poemas, sugere um certo grau intensivo, como se fosse “Minas plenas de mim”, “Minas plenas de minha poesia”, valor afetivo que se encontra também em outros poemas. Em "Minas" está contido o "mim" como parte dual que se divide para conter especularmente o esforço das descidas e subidas de ladeiras em que a poeta, mineiramente barroca, procura descobrir histórias. Histórias de "minas"? Histórias de "mim"?

O poema com o mesmo título do livro é o seguinte:

"Minas de mim"

Me desço e me subo
ladeira que eu sou,
me dispo, me busco,
mineira – eu vou.

Descubro histórias
de minas de mim.
Minérios, explosivos
segredos me fazem assim.

De altos e baixos,
de sim e de não,
sou toda relevos
e casarões.

Ao comentar um outro poema, "Malabar",  em que o eu-lírico confessa sonhar com “trapézios e aplausos”, Profa. Dra. Benilde Caniato  prevê para a autora que “o sonho não lhe será proibido, com certeza”. Que os leitores de Minas de mim concordem sempre com ela.

O nome do blog fica aqui explicado. Num futuro post prometo colocar um outro poema do Minas de mim.

Caso você se interesse em possuir um Minas (antes que a edição se esgote), entre em contato comigo pelo e-mail: jussaraneves@hotmail.com

12 comentários:

  1. Duda querida,
    Lindo o poema, os quadradinhos de tricô, a rosca... como dizem os psicanalistas: o que seria da gente sem a sublimação, né? Beijos

    ResponderExcluir
  2. JUSSARA ,obrigada por mandar-me o seu blog.
    Parabéns por estar sempre indo em frente.
    É pena vc morsr no interior ,em uma capital vc iria muito mais longe... mas DEUS SABE O QUE FAZ
    AINDA NÂO ESTÀ NA HORA...
    JU , para mim vc é impar, torço por vc, que JESUS te carregue no colo sempre...
    UM GRANDE ABRAÇO,
    ZÉLIA

    ResponderExcluir
  3. Mirella, Nâni, Zélia, obrigada pela visita e pelos comentários... Voltem sempre, viu?
    Abraçoss

    ResponderExcluir
  4. Olá, Jussara!
    Adorei a sua iniciativa. Será bom acompanhá-la no blog, seus escritos, suas sugestões, enfim, suas palavras.
    De quem se considera sua eterna aluna, Keilla.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Keilla,
    pensei tanto em vc o dia todo porque vc me mandou tantos "causos" mineiros e eu salvei tão poucos! Se vc ainda tiver aí, num arquivo, envie-me, por favor, pra que eu possa aproveitá-los aqui... Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Jussara,
    Começarei do começo...
    Em relação ao blog "Minas de mim". Parabéns! Ele é um reflexo de tua beleza tanto fisica quanto espiritual...
    Quanto ao livro "Minas de mim" a cada poema que leio é como se eu flutuasse...e quero sempre mais...
    Quanta saudade!!!
    Abraço!
    Mara Nobre - São Paulo
    http://rabiscos-de-minha-alma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Mara,
    que bom que começou do começo! A maioria não faz isso e acaba por não apreender o sentido geral do blog.
    Disseram-me no início da semana - e agora vc confirma - que o blog é um reflexo do que sou. Vc ainda usa a expressão "beleza tanto física quanto erspiritual". Nossaaaa. Chique denmais eu fiquei!
    Alegra tb meu coração vc dizer que meus poemas a fazem flutuar... esse não é o sonho de todo poema?
    Obrigada pelo comentário tão lindo!
    Abraço e saudade!

    ResponderExcluir
  8. ESTÁ TUDO LINDO EM SEU BLOG , AINDA MAIS COM TEMPERO DO POEMA MINAS DE MIM...

    ResponderExcluir
  9. Obrigada! Que bom que gostou do blog e do poema! Que bom receber sua visita! Mas... não sei se todo mineiro é curioso, mas eu sou... rs... Quem é você?

    ResponderExcluir
  10. Querida Jussara, eu amei ler isso tudo sobre você, seus poemas e seu livro. Adorei.
    Um beijo de Fernanda Maria.

    ResponderExcluir
  11. No caos dos meus tropeços conheço o seu começo!
    Que legal ver a primeira postagem do blog Minas de Mim! Percebo agora como o óbvio às vezes nos escapa. É essencial conhecer a semente, mesmo quando já se prova o sabor dos bons frutos. Eu que conheci o blog quando ele já estava maduro, agora vou me deliciar com o sabor de suas raízes.
    Vamos em frente!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!