Percursos pelas montanhas

quarta-feira, novembro 30, 2011 Jussara Neves Rezende 13 Comments

Eu amo montanhas! Amanhã ou depois falarei mais a respeito desse amor. Mesmo quem me conhece pouco, entretanto, já deve te percebido isso... pela capa do meu livro, pelo cabeçalho do blog...
O fato é que ter nascido numa montanha, entre montanhas, determinou parte do que sou. Quem nasce diante do mar é mais aberto, descolado, solto, como se o mar chamasse a uma vida mais livre como um dia convocou os primeiros navegadores portugueses a se aventurarem por águas nunca d’antes navegadas.
Se nenhum determinismo é maior que nosso espaço de liberdade – o pensamento – também é verdade que determinismos existem e até onde podem... determinam. Talvez por causa das montanhas seja o mineiro tão cauteloso, desconfiado, precavido. Protegido pelas montanhas, meio que receia o que pode de repente surgir detrás de qualquer delas: “o que vem lá longe...?”; “o que foi que dobrou o espigão...?

Mineiro é assim. Num primeiro momento super desconfiado com estranhos, no instante seguinte abre a porta de casa, puxa a cadeira e chama para dentro: “Ô, muié, prepara aí um cafezinho pra visita!” E puxa prosa e conta “causo” numa conversa arrastada que quem ouve chega a pensar que o “mineirim” não tem nada mais a fazer na vida...
Eu amo montanhas. Meio determinada por elas sou mais fechada do que gostaria de ser, preciso tê-las à roda para me sentir segura, com os pés no chão. Gosto de locais conhecidos como a minha casa onde posso me movimentar de olhos fechados, sinto imensa falta dela quando me afasto. Também amo viajar, mas têm que ser viagens curtas, porque senão a saudade de casa chega a doer.
Eu sou mineira. Criar este blog é como abrir a porta da minha casa e convidá-lo(a) a entrar. Espero que tudo esteja ao seu gosto. Prosa de mineiro é quase sempre saborosa.
Bom... todo esse preâmbulo foi para preparar minha postagem de amanhã – que será sobre montanhas – e para contar que meus filhos passaram o último fim de semana em São Tomé das Letras, cidade encravada nas montanhas e, mais que isso, nas rochas. Quarta cidade mais alta do Brasil, localizada nas montanhas da Serra da Mantiqueira, São Tomé fica a duas horas de carro de Machado, onde vivo.
A origem do nome da cidade deve-se à lenda da aparição do respectivo santo e às inscrições rupestres encontradas na entrada de uma gruta. Tais inscrições não se sabe se foram feitas pelos índios Cataguases, antigos moradores da região, ou se são palavras deixadas pelo santo.
As construções e ruas que caracterizam a cidade são feitas com pedras extraídas do lugar. 60% da economia local é oriunda da extração de pedras de quartzito, hoje exportadas para vários países da Europa, razão para que a cidade tenha ficado conhecida como “cidade de pedra”.
Embora as lendas e histórias que cercam São Tomé das Letras, bem como suas inúmeras grutas e cachoeiras tenham criado em torno dela um clima esotérico, tornando-a conhecida, também, como a "cidade mística do Brasil", a vida dos seus moradores é bem simples, típica do interior de Minas.
Meus filhos lá estiveram na última sexta, sábado e domingo. Voltaram bronzeados e cheios de fotos. Vou postar algumas:

Quedas d'água






Construções típicas







Paisagem







Meus lindos filhos







Passeio lindo, não? Ao chegarem eu os esperava com uma torta de ameixas frescas, acabada de sair do forno e a cheirar canela e limão... humm... mas isso já é matéria para outro post... Até lá!



13 comentários:

  1. Oi Jussara, é a Vi, lendo seu post, fiquei visualizando mentalmente sua descrição,passeando por todas essas montanhas.
    Também gosto de montanhas e mata, moro perto da serra da cantareira, posso visualizar algumas montanhas.
    Amei as fotos, seus filhos são lindos e fiquei com vontade de comer essa torta,kkk.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
  2. Oi, Vi, que delícia recebê-la aqui! E que bom que vc tb pode visualizar montanhas! Nossa... eu enlouqueceria se não pudesse! Obrigada pelo elogio pros meus filhos... Hummm... fico toda convencida! Quanto à torta... um dia a gente marca... rs. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Jussara!

    LINDOS FILHOS, parabéns! Que bom que se divertiram. Eu confesso: nao conheço Minas ainda e não gosto de montanhas. Eu gosto de mar, de areia, de maresia. Sempre que passeamos em um lugar sem praia, mesmo que a viagem seja ótima, parece que falta algo. Gostei da análise que fizeste sobre a personlaidade e o ambiente.

    beijooo

    ResponderExcluir
  4. Oi, Jussara! Adorei a mensagem. São Tomé é um dos meus lugares favoritos. Não sei se contei a vc que me mudei para BH, mas enquanto morava em Varginha, a proximidade me permitia ir mais amiúde lá. Identifiquei-me bastante com sua postagem, pois costumo dizer que sou "mineiríssima', já que praia nunca foi meu forte, prefiro montanha, terra, cheiro de mato e cachoeira...
    Se seus filhos gostam desse tipo de programa e ainda não conhecem, indique a eles "Ibitipoca", é outro paraíso mineiro.
    Abraço! Keilla

    ResponderExcluir
  5. Oi, Fernanda, que bom tê-la aqui. Eu amo o mar, mas consigo viver sem ele... já sem montanhas, não sei ser eu. Bacana, no Rio, é a convivência entre Serra e Mar, vc não acha? Obrigada pelo elogio pros meus filhos... sou muito coruja... rs
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Keilla, eu não sabia que vc estava em BH! Mas tb não me surpreendo. Vc é grande, menina, precisa de espaço! Já falei com meus filhos sobre Ibitipoca... ainda não foram... vamos ver se em breve...
    Abraço e saudade!

    ResponderExcluir
  7. Oi Ju, amei todas as fotos: as casas, a cachoeira, paisagens e principalmente dos teus lindos filhos.
    Parabéns pelos filhos lindos. Estas montanhas onte mostra a paisagem da foto da sua filha, está linda demais. AMEI.

    Um gde abraço.
    Sua amiga que te ama
    Rosa (eternamente c/Cristo).

    ResponderExcluir
  8. Oi, Rosa, tb amei amei aquela foto da minha filha com aquela paisagem toda atrás. Lugar lindo mesmo. Obrigada pelo comentário, pelo carinho, pelo elogio aos meus filhotes... humm... fico tão feliz qdo eles são elogiados! ;) Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Além de ótima poeta (poetisa, rs), escritora.. tem se saído uma ótima jornalista! rs..
    Amei ler o texto, descobrir coisas que nem sabia e reviver um pouco dessa viagem tão gostosa!
    Da próxima vez você vai comigo, no meu futuro carro! ;)

    ResponderExcluir
  10. Filha linda,
    vou tomar posse desta afirmação: "Da próxima vez você vai comigo, no meu futuro carro!" AMÉM!
    Mtos bjos!

    ResponderExcluir
  11. São Tomé das Letras.... Essa terra meu tempo doido-varrido, roqueiro, esquerdista quase guerilheiro. Mas sempre poeta. Nunca estive lá. Sempre tive medo de ir e nunca mais voltar. Ser abduzido pelo lugar. Vários amigos meus foram lá e me contaram estórias assombrosas de coisas assombrosas de lugares assombrosos de seres assombrosos e de pessoas maravilhosas que por lá viviam. Morri de medo e até hoje procuro não pensar em visitar esta terra tão estranha e tão conhecida... Coisas de minha juventude e medos de minha juventude..

    ResponderExcluir
  12. Que bacana essas lembranças, Sidnei. Fico feliz que as tenha compartilhado comigo. Eu não conheço ainda São Tomé porque ainda não calhou de aportar por lá. Tenho muita vontade! Mas sei que voltarei pra casa, pois aqui é meu lugar no mundo... rs
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Amo São Tomé das Letras!!!
    Se tiver uma oportunidade mudo para está pequena grande cidade sem pensar duas vezes. Ela é um ótimo equilíbrio entre o necessário do conforto urbano e a rusticidade da natureza.
    Que prazer é viver neste lugar o simples e belo, acima das pedras e abaixo do céu, entre antigos hippies e novos esotéricos.
    Trem bão, sô...

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Volte sempre!