Leitura e culinária

Leitura e culinária

Em A menina do fim da rua, de Laird Koenig (livro que li há muitos anos), a dita menina – que vivia sozinha num casarão apesar de ter apenas 14 anos – faz um belo jantar para receber um amigo. Como ele sabia bem que a amiga não vivia com os pais, nem com parente algum, pergunta como havia aprendido a cozinhar. Ao que ela responde: “Eu sei ler”.

Hoje, sempre que recebo um elogio por algum prato que fiz, lembro dessa história e acabo brincando ao dizer que não sou uma cozinheira e, sim, uma leitora. Com boas receitas qualquer um pode se sair bem. Acho que dou sorte… rs
Hoje pela manhã, junto com o café quentinho, comi queijo fresco, como boa mineira que sou. Pensei, nessa hora, em fazer pão de queijo para o lanche da tarde, mas acabei por resolver outra coisa: nem só de pão de queijo vivem os mineiros… A receita que acabei por escolher está na minha família há anos, mas eu a melhorei, o que me garantiu o direito de acrescentar um “à minha moda” ao título. Vou divulgá-la aqui. Não é difícil. E se se é bom leitor… rs
ROSCA EM FLOR À MINHA MODA
INGREDIENTES
1 xícara (chá) de leite (de morno para quente)
3 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (sopa) de fermento de padaria
1 colher (sopa) de margarina
2 ovos
3 colheres (sopa) de azeite
5 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
RECHEIO
2 colheres (sopa) de margarina
6 colheres (sopa) de açúcar
Canela em pó a gosto
CALDA
½ xícara (chá) de mel
1 colher (sopa) de margarina
½ xícara (chá) de açúcar

MODO DE FAZER
Misture bem o leite morno, o açúcar, o fermento e ½ xícara (chá) de farinha de trigo. Cubra com filme plástico ou um pano de prato e deixe descansar por 10 minutos, de preferência ao sol, ou sobre o fogão com o forno aquecido, para crescer o fermento.
Depois dos 10 minutos, crescido o fermento, junte a margarina, os ovos, o azeite, a farinha e o sal.
Trabalhe a massa até desgrudar das mãos e ficar uma massa macia. Cubra como no início e deixe dobrar de volume.
Misture, então, os ingredientes do recheio, abra a massa sobre um balcão de pedra (ou uma mesa), espalhe sobre ela o recheio e enrole-a como rocambole.
Finalmente, corte o rocambole em fatias de 2 cm e coloque-as, umas sobre as outras, em uma forma untada, alta, de furo no centro. Tenha o cuidado de reservar as fatias mais bonitas para ficarem por cima.
Misture os ingredientes da calda até que essa fique homogênea. Espalhe sobre a rosca e leve ao forno até dourar.
Com o café das 4, ou o chá das 5, é “bomdimaisdacontasô”, como dizem os mineiros. Isso sem falar no quanto a rosca fica bonita e no prazer que dá saber que saiu das suas mãos:

Caso você faça, não deixe de me contar, sim? Vou amar saber.



13 thoughts on “Leitura e culinária”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *